Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Obstetrícia

Heloísa, 24 anos, gesta III, para 0, aborto II (duas perdas fetais no 2º trimestre), atualmente na 34ª semana de gestação, procura a emergência com cólica, dores em membros inferiores e perda líquida há duas horas, sem sangramento. No exame obstétrico inicial, observa-se líquido amniótico claro e sem grumos saindo pela vagina. Nos membros inferiores nota-se trombose venosa profunda (TVP). A cardiotocografia realizada 1h após a internação evidencia padrão periódico, desaceleração da frequência cardíaca fetal, cujo intervalo de tempo entre o início da contração e o princípio da desaceleração é de 35 segundos com linha de base em 130 bpm. Heloísa está agora com 6 cm de dilatação, colo 100% apagado,apresentação em plano“0” de De Lee, líquido de tinto de mecônio. BCF de 110 bpm e cardiotocografia não reativa. No puerpério imediato, a trombose venosa profunda (TVP) de Heloísa se agrava por ter permanecido muito tempo acamada apesar das recomendações médicas para a deambulação precoce. No terceiro dia de puerpério, Heloísa amanhece com as mamas doloridas, muito ingurgitadas, levemente hiperemiadas e temperatura axilar de 37,8°C. Diante deste quadro clínico a conduta é:

A
manter o aleitamento e iniciar cefalexina oral por 10 dias
B
suspender o aleitamento, indicar anti-inflamatórios e antibiótico de largo espectro
C
manter o aleitamento, aumentar a frequência das mamadas e realizar ordenha manual
D
realizar ordenha manual e administrar o leite em copinho até a melhora do quadro
Julgue as situações clínicas apresentadas nos itens subsequentes de acordo com o Programa de Atenção às Doenças Prevalentes na Infância do Ministério da Saúde do Brasil. I. Uma criança com 4 anos de idade, febre e tosse há 3 dias, frequência respiratória de 50 irm, sem tiragem intercostal, sem estridor ou sibilância não deve ter o diagnóstico de pneumonia. II. Uma criança agudamente doente, que consegue mamar no peito da mãe ou beber líquido em um recipiente, que não está vomitando e não apresenta história de convulsões não apresenta sinais gerais de perigo. III. O diagnóstico mais provável de um pré-escolar com queixa de dor e secreção purulenta visível em orelha esquerda há 5 dias é infecção aguda do ouvido. IV. Considere que uma lactente com 2 anos de idade, procedente da periferia de Brasília, seja apresentada na emergência de um hospital com relato de estar com febre há 2 dias, vomitar tudo o que ingere e não ingerir líquidos, e que, no exame físico, apresente rigidez de nuca e petéquias distribuídas pelo corpo. Nessa situação, o diagnóstico mais provável é doença febril. V. O diagnóstico de uma criança com 1 ano de idade, diarreia há 14 dias e sangue nas fezes é desidratação grave. Estão certos apenas os itens:
Aleitamento materno exclusivo até os 6 meses de vida é uma das medidas de maior eficácia e de menor custo de que se dispõe no enfrentamento da mortalidade infantil. À luz dos conhecimentos sobre o leite materno, julgue os itens seguintes. I. Quanto à composição proteica do leite humano, 80% correspondem à caseína e 20% à lactoalbumina; II. O controle da secreção e da ejeção do leite humano são efetivados, respectivamente, pelos hormônios prolactina e ocitocina; III. Considera-se que a pega está adequada quando a boca do bebê está bem aberta, o lábio inferior está voltado para fora e o superior para cima, o queixo toca o peito da mãe, aparece mais aréola acima da boca do bebê do que abaixo, e ele suga e deglute de forma coordenada; IV. Entre as imunoglobulinas presentes no leite humano predominam as IgG e IgM; V. O médico deve recomendar a uma mãe com infecção pelo vírus da hepatite C que não amamente. Estão certos apenas os itens:
Quanto aos critérios clínicos empregados para definição de sepse, relacionados aos achados clínicos e de laboratório, pode-se dizer que:
Paciente, 36 anos de idade, lavradora, procedente da zona rural, cursa com diarreia há três meses com perda ponderal de 5 kg, além de dor abdominal. Nega história familiar de câncer. Tem dieta rica em frutas e legumes. O quadro se caracteriza por 8 dejeções/dia com fezes amolecidas, sem muco ou sangue visíveis. Traz exame protoparasitológico de fezes, em uma amostra, negativo. Ao exame físico, se apresenta com hipocromia de mucosas ++/4, IMC: 23 kg/cm², abdome sem visceromegalias. Os exames de laboratório evidenciam Hb: 8 g/dl, VHS: 54 mm na 1ª hora, leucograma: 14,3 mil com 76% segmentados. A colonoscopia revelou úlceras de aspecto serpiginoso em ceco e íleo terminal, com mucosa de permeio normal. Um exame de PPD realizado nessa paciente revelou área de induração de 7 mm após 72 horas. Esse dado:
Compartilhar