Questões na prática

Clínica Médica

Ginecologia e Obstetrícia

Pneumologia

Heloísa, 24 anos, gesta III, para 0, aborto II (duas perdas fetais no 2º trimestre), atualmente na 34ª semana de gestação, procura a emergência com cólica, dores em membros inferiores e perda líquida há duas horas, sem sangramento. No exame obstétrico inicial, observa-se líquido amniótico claro e sem grumos saindo pela vagina. Nos membros inferiores nota-se trombose venosa profunda (TVP). No puerpério imediato, a trombose venosa profunda (TVP) de Heloísa se agrava por ter permanecido muito tempo acamada apesar das recomendações médicas para a deambulação precoce. O sinal que indica gravidade da TVP é:

A
dor do segmento acometido, do tipo compreensiva
B
edema
C
hipertermia discreta e localizada
D
palidez distal
Bebê com 30 dias de vida, sexo masculino, nascido a termo, sem comorbidades, em aleitamento materno exclusivo. Há um dia começou a apresentar episódios de regurgitação que evoluíram para vômitos em jato após aproximadamente 12 horas. Ao exame apresenta-se desidratado (++/++++). afebril e sem alterações do exame físico abdominal. Considerando-se o quadro acima, qual exame a ser solicitado e o diagnóstico mais provável?
RN a termo, com 24 horas de vida, inicia icterícia que se estende até a Zona III de Krammer. Mãe Rh negativo com teste de Coombs indireto negativo. RN tipo A positivo com teste de Coombs direto fracamente positivo. O RN encontra-se em bom estado geral, com peso de 3200 g. Qual o diagnóstico provável e a conduta, nesse caso?
Qual a variação de frequência do ritmo alfa internacionalmente aceita?
Um menino de 5 anos apresenta dificuldade para andar, enrijecimento do quadril à direta e vem mancando há 2 meses. Queixa-se de dor muito leve no local. O diagnóstico mais provável é:
Compartilhar