Questões na prática

Clínica Médica

Gastroenterologia

Hepatologia

Hepatopata, com grave comprometimento da qualidade de vida é candidato ao transplante hepático, uma vez que esgotadas outras formas de tratamento clínico. São indicadores de alerta para necessidade de realização do transplante:

A
hepatite crônica por vírus B com replicação viral e encefalopatia crônica.
B
Child-Pugh B/C, hemorragia digestiva alta de repetição e ascite refratária.
C
hepatopatia alcoólica associada com pancreatite crônica e desnutrição.
D
cirrose biliar primária de rápida evolução com colangite de repetição.
E
carcinoma hepatocelular extenso metastático e síndrome hepatorrenal.
Uma criança, com dois anos de idade, sexo masculino, é atendida no serviço de Pronto Atendimento. A mãe relata que a criança vem apresentando sintomas de obstrução nasal e secreção hialina há seis dias, evoluindo com febre (dois picos diários de 38,8 ºC) nos últimos dois dias, irritabilidade, dificuldade de aceitação da alimentação, sobretudo da mamadeira que é oferecida à noite, após deitar. O exame físico mostra abaulamento da membrana timpânica esquerda. Qual a principal hipótese diagnóstica e a conduta terapêutica?
Pré-escolar de três anos, com história de febre e tosse há três semanas, foi medicada com antibióticos sem melhora. Vacinada com BCG ao nascer e apresenta cicatriz. O irmão adolescente, que reside na mesma casa, está em tratamento para tuberculose. A radiografia de tórax mostra infiltrado em um lobo médio, a prova tuberculínica é não reatora e, na avaliação nutricional, há magreza acentuada. Diante deste quadro, considerando os critérios atuais de pontuação do controle de tuberculose no Brasil, o diagnóstico de tuberculose neste pré-escolar é:
João Vitor, 1 ano, sofreu queimadura de espessura parcial em 1% de sua perna direita. O menino se queimou no fogareiro em que a família cozinha. Dr. Pablo estava realizando visita domiciliar por perto e foi chamado imediatamente. São condutas a serem tomadas por Pablo, exceto:
Na avaliação pré-operatória de uma colecistectomia videolaparoscópica eletiva de um homem com 45 anos de idade, em que a anamnese e o exame físico não sugerem doença cardíaca isquêmica, insuficiência cardíaca, diabetes mellitus, aterosclerose generalizada ou doença renal crônica, sendo este homem capaz de subir dois andares sem sintomas, a conduta recomendada é:
Compartilhar