Questões na prática

Clínica Médica

Cardiologia

Homem, 60 anos, diabete melito tipo 2, hipertenso de longa duração, fumante com baixa adesão ao tratamento anti-hipertensivo . É atendido na emergência com PA = 250 x 150 mmHg, cefaleia intensa, visão borrada, vômitos e crise convulsiva. Fundo de olho evidencia edema de papila. Em relação ao diagnóstico e conduta, é correto afirmar que se trata de

A
crise hipertensiva, devendo o paciente ser tratado com metoprolol, hidralazina e diurético, trazendo os níveis de tensão arterial para a faixa de normalidade.
B
emergência hipertensiva; imediatamente usar hidralazina endovenosa, objetivando trazer os níveis de tensão arterial para baixo de 120 x 80 mmHg.
C
crise hipertensiva; de imediato usar metoprolol endovenoso e manter tensão arterial em níveis abaixo de 130 x 80 mmHg.
D
emergência hipertensiva; de imediato usar nitropussiato de sódio, iniciando simultaneamente esquema anti-hipertensivo via oral para desmame precoce do nitroprussiato, evitar hipotensão, mantendo níveis de tensão arterial em torno de 140 x 90 mmHg.
E
emergência hipertensiva; de imediato usar nitropussiato de sódio e, se possível, mantê-lo por vários dias, só iniciando esquema anti-hipertensivo oral, tardiamente, após normalização da tensão arterial com o nitroprussiato de sódio.
Paciente com quadro clínico e radiológico de pneumonia e derrame pleural unilateral de médio volume, constatado há 3 dias. O derrame pleural apresenta as seguintes características: aspecto: amarelo-escuro, relação proteína pleura/plasma: 0,8; relação DHL pleura/plasma: 0,9; leucócitos: 14500 (80% polimorfonucleares); pH = 6,9. A interpretação dos resultados e a conduta devem ser, respectivamente:
A incontinência urinária é definida como perda involuntária de urina, sendo um sintoma e não um diagnóstico. Perante uma paciente com esse sintoma, deve-se:
Paciente, 20 anos, nuligesta. Exame especular mostra colo uterino normal. Ausência de leucorreia. Feita coleta tríplice de material para colpocitologia, o resultado do exame apresentou atipias de células escamosas de significado indeterminado (ASCUS) no material da coleta endocervical. Colposcopia negativa, colo sem lesões. Qual a melhor conduta para o caso dessa paciente?
Qual a medida mais rápida e efetiva, em sala de emergência, para a redução inicial da pressão intracraniana, em paciente com traumatismo cranioencefálico grave e grau 5 na escala de Glasgow?
Compartilhar