Questões na prática

Cirurgia

Cirurgia Geral

Homem, 65 anos, refere dor e desconforto na região inguinal direta, que se acentua aos esforços. Ao exame, palpa-se massa de cerca de 3 cm, indolor, consistência elástica, móvel ao exame e, conforme a variação da pressão abdominal faz protrusão na parede. Em relação a esta situação, são apresentadas as assertivas a seguir. I. Trata-se de hérnia direta por persistência do conduto peritônio-vaginal. II. O risco de encarceramento é maior já que se trata de hérnia direta. III. Trata-se de hérnia direta medial aos vasos epigástricos inferiores. Qual é a alternativa correta?

A
Apenas I.
B
Apenas II.
C
Apenas III.
D
Apenas I e II.
E
I, II e III.
Antonio Carlos, 35 anos, tem cirurgia eletiva programada devido à otoesclerose estapediana (estapedectomia). Mãe com diabetes tipo II e pai saudável. Exame físico: peso 91 kg, altura 1,80 m e circunferência abdominal 106 cm. PA 140 x 80 mmHg; PR 90 bpm. Aparelhos cardiovascular e respiratório sem alterações. Hérnia em região inguinocrural à direita, diagnosticada há cerca de 5 anos, assintomática. Exames: hemácias 4.980.000/mm³, Hb 15g/dl, Ht 45,4%, leucócitos 5500/mm³, plaquetas 320.000/mm³, TAP 100%, INR 1,0; glicemia 114 mg/dl, creatinina 1,3 mg/dl, (clearance creat 102 ml/min), ácido úrico 8,3 mg/dl, Na 140 mEq/l, K 4,7 mEq/l; triglicerídeos 160 mg/dl, HDL 35mg/dl, LDL 136 mg/dl; microalbuminúria 100 mg/24h. Níveis elevados de ácido úrico estão associados à obesidade, dislipidemia, hipertensão arterial sistêmica e diabetes. Um estudo, no qual 9.125 trabalhadores foram acompanhados por 23 anos, investigou a associação entre ácido úrico elevado e risco para doença coronariana. Os indivíduos com uricemia mais elevada tiveram risco maior de morrer por doença cardiovascular do que aqueles com ácido úrico mais baixo, sendo o risco relativo = 1,29 e IC 95% 1,05 - 1,58. Em relação ao perfil glicídico, a conduta é:
Antonio Carlos, 35 anos, tem cirurgia eletiva programada devido à otoesclerose estapediana (estapedectomia). Mãe com diabetes tipo II e pai saudável. Exame físico: peso 91 kg, altura 1,80 m e circunferência abdominal 106 cm. PA 140 x 80 mmHg; PR 90 bpm. Aparelhos cardiovascular e respiratório sem alterações. Hérnia em região inguinocrural à direita, diagnosticada há cerca de 5 anos, assintomática. Exames: hemácias 4.980.000/mm³, Hb 15 g/dL, Ht 45,4%, leucócitos 5500/mm³, plaquetas 320.000/mm³, TAP 100%, INR 1,0; glicemia 114 mg/dl, creatinina 1,3 mg/dl, (clearance creat 102 ml/min), ácido úrico 8,3 mg/dl, Na 140 mEq/l, K 4,7 mEq/l; triglicerídeos 160 mg/dl, HDL 35 mg/dl, LDL 136 mg/dl; microalbuminúria 100 mg/24h. O estudo americano "Third National Health and Nutrition Examination Survey" analisou 8.814 homens e mulheres civis americanos, com 20 anos de idade ou mais, não institucionalizados, e estimou uma prevalência de síndrome metabólica de 21,8%. Níveis elevados de ácido úrico estão associados a obesidade, dislipidemia, hipertensão arterial sistêmica e diabetes. Um estudo, no qual 9.125 trabalhadores foram acompanhados por 23 anos, investigou a associação entre ácido úrico elevado e risco para doença coronariana. Os indivíduos com uricemia mais elevada tiveram risco maior de morrer por doença cardiovascular do que aqueles com ácido úrico mais baixo, sendo o risco relativo = 1,29 e IC 95% 1,05 - 1,58. Em relação à hérnia da parede abdominal, deve-se:
Homem de 50 anos é portador de hipertensão arterial sistêmica essencial, em uso de enalapril e amlodipina. Apresenta pressão arterial de 160 / 100 mmHg em medidas pressóricas avaliadas em casa e durante o retorno ambulatorial. Assinale a alternativa com a melhor opção terapêutica.
Na avaliação nutricional do paciente cirúrgico, assinale qual dos seguintes parâmetros não tem importância. (CAMPOS, A.C.L. Nutrição em cirugia. Atheneu, 1 ed.)
Compartilhar