Questões na prática

Clínica Médica

Infectologia

Pneumologia

Homem 80 anos, ex-tabagista com DPOC, apresenta história de piora da dispneia há 2 dias, aumento da expectoração que se tornou amarelada e febril. Na ausculta, há um foco de pneumonia em base esquerda, além de PA de 100x60 mmHg, FR de 36 por minuto e pulso de 128 bpm. Com relação ao local de tratamento e escolha antibiótica, pode-se afirmar que a opção correta é:

A
enfermaria e ceftriaxone e macrolideo.
B
enfermaria e amoxacilina.
C
UTI e ceftriaxone e macrolídeo.
D
UTI e ampicilina.
E
semi-intensiva e quinolona, sem espectro antipneumocócica.
Homem de 32 anos é atendido em pronto-socorro municipal apresentando queixas de cefaleia, náuseas, visão turva e diarreia controlados com hidratação e medicação sintomática. Cerca de 20 dias depois começa a apresentar dormências nas mãos e nos pés. Informa ainda que sente “o músculo tremer sozinho”, principalmente nas coxas. O diagnóstico mais provável é:
Lactente de 2 meses é trazido ao pronto-socorro com história repentina de choro e irritabilidade seguida de palidez cutânea e cianose generalizada. Na chegada, a criança apresenta-se hipoativa, taquipneica, cianótica, com pulsos periféricos finos, murmúrio vesicular presente bilateralmente, fígado a 4 cm de rebordo costal direito. Mãe refere que a criança apresenta sopro desde nascimento. Qual o diagnóstico mais provável?
Paciente, com 2 anos de idade, chega ao Pronto Socorro com história de ter deglutido uma pequena bateria (0,5 cm de diâmetro) há 15 minutos. A radiografia de abdome mostra que o objeto está localizado no estômago. Qual a melhor conduta?
Um menino, com 5 anos de idade, é atendido com queixa de manchas no corpo e febre não aferida há 4 dias. Ao exame, nota-se petéquias disseminadas, adenopatia generalizada e hematomas em tronco e membros. No abdome, palpa-se o fígado a 4 cm do rebordo costal direito e baço a 3 cm do rebordo costal esquerdo. O diagnóstico mais provável é:
Compartilhar