Questões na prática

Clínica Médica

Cardiologia

Homem, com 45 anos de idade, apresenta-se em consulta ambulatorial com miocardiopatia dilatada idiopática, insuficiência cardíaca em classe funcional II e fração de ejeção de VE estimada em 30% por ecocardiograma recente. Faz uso regular de digoxina, enalapril e diuréticos. Devido a sintomas de palpitações, exame de Holter é realizado e demonstra a presença de 22.000 extrassístoles ventriculares em 24 horas. Também ocorreram 4 salvas de taquicardia ventricular não sustentada (com até 6 batimentos de duração). Qual a sua recomendação para o tratamento deste paciente?

A
Betabloqueadores.
B
Diminuição de digoxina e adicionar espironolactona.
C
Suspensão de digoxina.
D
Encaminhamento para estudo eletrofisiológico e terapia antiarrítmica guiada pelo estudo.
E
Implante de cardiodesfibrilador (CDI).
São afirmativas verdadeiras sobre a doença diverticular do cólon e a ocorrência de diverticulite aguda, EXCETO:
Américo, 39 anos, apresentando há 3 anos humor deprimido. Às vezes pessimista, consegue fazer as suas obrigações diárias e laborais, porém desanimado para participar de atividades sociais, por vezes com algum prejuízo funcional. Foi avaliado por um clínico que constatou um exame físico normal. Realizou alguns exames e estavam todos normais. Com relação ao diagnóstico, assinale a alternativa CORRETA:
Nesta questão é apresentado um quadro clínico hipotético, seguido de uma assertiva a ser julgada. Uma paciente de 5 anos de idade deu entrada no pronto-socorro. A mãe referiu que a filha apresenta emagrecimento nos últimos dois meses, poliúria, polidipsia e polifagia. Hoje, teve queda do estado geral, com sonolência excessiva. No exame físico, a paciente encontrava-se magra, desidratada ++/4 e com respiração acidótica (Kussmaul). Os exames laboratoriais apresentam glicemia de 512 mg/dL, acidose metabólica (pH 7,2 e bicarbonato - 12 mEq/L), cetonúria positiva (+++) e potássio de 4,5 mEq/L. A principal suspeita diagnóstica foi de diabetes melito, e os quadros clínico e laboratorial foram compatíveis com cetoacidose diabética. Nessa situação, a terapêutica mais indicada é hidratação rápida, insulinoterapia em doses baixas e oferta precoce de potássio.
Um estudante de seis anos de idade, é trazido à Emergência hospitalar apresentando dor abdominal, inicialmente epigástrica e, posteriormente, em flanco direito. Apresenta quadro de febre (38,5 °C), distensão abdominal e vômitos. O quadro iniciou-se há pouco mais de 24 horas, com piora progressiva. A família relata história de episódios de fezes escuras com odor fétido desde quando era lactente. Ao exame físico, demonstrou dor à palpação do flanco direito, mais intensa em fossa ilíaca direita. A ausculta abdominal indicou ruídos hidroaéreos metálicos intervalados por períodos de ausência de ruídos. Ele foi internado. Foram realizados alguns exames, com os seguintes resultados: Leucócitos = 16.500/mm³ (VR: 5.500 - 6.500/mm³); Neutrófilos = 11.000/mm³; Bastões = 1.700/mm³; A radiografia do abdome evidenciou dilatação e edema de alças do intestino delgado com nível hidroaéreo. O ultrassom abdominal resultou sugestivo de abscesso em região de íleo terminal. A principal hipótese diagnóstica e a conduta recomendada diante desse quadro são, respectivamente,
Compartilhar