Questões na prática

Clínica Médica

Gastroenterologia

Homem com 72 anos, dor abdominal em cólica há 24 horas. Parada de eliminação de gases e fezes, negando enjôo ou vômitos. Ao exame clínico distensão abdominal, timpanismo, com ausência de descompressão dolorosa e ruídos peristálticos aumentados.Toque retal descrito como sem anormalidades. Recebendo este paciente no pronto-socorro, qual procedimento solicitaria para confirmar o diagnóstico?

A
Colonoscopia virtual.
B
Tomografia abdominal.
C
Enema (clister) Opaco.
D
Radiografia simples de abdome.
E
Videocolonoscopia.
Paciente masculino de 36 horas de vida, após gestação de 36 semanas, Apgar 8/9, antecedente de polidrâmnio, mas sem relato de eliminação de mecônio. Ele evoluiu com distensão abdominal e vômitos biliosos, e a radiografia de abdome evidencia alças intestinais dilatadas, sem nível hidroaéreo, com imagens de vidro moído. Qual é a hipótese MAIS provável?
A poliarterite nodosa relaciona-se mais frequentemente com o vírus da hepatite:
Mulher de 33 anos é trazida ao Pronto Socorro pelo marido com agitação psicomotora há doze horas. O marido relata que ela tem estado muito irritada há dois dias por acreditar que vem sendo traída. Conta que sempre foi uma pessoa normal e que nunca chegou a ficar da maneira que se encontra agora (chegou a jogar objetos domésticos, como pratos e copos, pela janela). Por fim relata estarem passando por uma crise no casamento. A paciente diz ter certeza da traição pelo fato do marido ter passado a chegar todo dia mais cedo em casa. A melhor conduta inicial, neste caso, seria:
Criança de cinco meses, sexo masculino, é levada para consulta de puericultura de rotina, com mãe muito preocupada com o desenvolvimento de seu filho que não está com sustento cervical completo e que o filho da vizinha de quatro meses já está todo “durinho”. O pediatra então colhe a história da criança que mostra uma gestação com seis consultas, sorologias da gestante normais e que, com 24 semanas de gestação, a gestação tornou-se de alto risco devido à hipertensão arterial da gestante e que, com 28 semanas, foi necessária a realização de cesariana devido ao descontrole da hipertensão arterial. No relatório da maternidade, mostrou que o RN ficou em ventilação mecânica por quatro dias, recebeu surfactante, teve sepse presumida tratada por 10 dias, avaliação de retina normal e ultrassom transfontanelar normal. No exame do pediatra da puericultura, foi notado um PC: 38 cm, sustento cervical incompleto, sorriso social, tônus adequado, reflexos primitivos todos presentes e criança acompanhava com olhar estímulo de luz nas quatro direções. Frente ao não sustento cervical nessa criança de cinco meses, qual a melhor conduta?
Compartilhar