Questões na prática

Clínica Médica

Infectologia

Homem de 20 de idade, há uma semana com febre, mal-estar, fadiga e dor de garganta. Ao exame, a faringe estava hiperemiada sem exsudato. Adenopatia cervical posterior. Hepatimetria de 12 cm e esplenomegalia. Exames complementares: leucócitos 12.000, linfocitose e linfócitos atípicos, bilirrubina total de 2 mg/dl, AST e ALT de 70 UI/I. Anticorpo heterófilo positivo. Tinha sido medicado com ampicilina e desenvolvido erupção maculo-papular pruriginosa. O diagnóstico mais provável é:

A
hepatite A.
B
linfoma.
C
toxoplasmose.
D
mononucleose infecciosa.
E
citomegalovírus.
Mulher, 34 anos de idade, procedente do interior de Minas Gerais, procura ambulatório de clínica médica queixando-se de diarreia importante nos últimos 4 dias. Refere 8 a 10 evacuações por dia, com fezes líquidas e de cheiro forte. Nega sangue ou muco nas fezes. Tem antecedente de meningite tuberculosa há 3 anos. Abusa de drogas ilícitas e sabe ser portadora do HIV há 12 anos. Nunca fez tratamento regular com antirretrovirais. O exame físico mostra a paciente em regular estado geral, desidratada 2+/4 e com diminuição da força muscular difusamente. Na investigação da etiologia da diarreia, o exame mais apropriado é:
Lactente indígena de 11 meses, sem imunização prévia, é admitido com quadro de meningite bacteriana com cultura de liquor positiva para Haemophylus influenzae tipo b. No momento da alta, a orientação adequada é:
Paciente com 39 anos, imunocompetente, apresenta varicela com febre baixa e várias vesículas de distribuição universal. No dia seguinte, dá à luz um recém-nascido a termo. A conduta adequada em relação ao RN é:
Adolescente do sexo masculino, de 14 anos, foi atendido há quatro dias com quadro progressivo de febre alta, dor de garganta, hiperemia intensa de orofaringe, hipertrofia de amígdalas, com exsudato e petéquias em palato, adenomegalia submandibular e cervical não aderente. Nesse dia, foi medicado com penicilina benzatínica 1.200.000 U por via IM. A mãe relata exantema após três dias de tratamento, sem melhora do quadro clínico. Diante dessa evolução, deve-se suspeitar de:
Compartilhar