Questões na prática

Cirurgia

Cirurgia Vascular

Homem de 40 anos, arrítmico, sem outras comorbidades, chega ao pronto-socorro com história de dor súbita intensa e resfriamento em panturrilha esquerda há aproximadamente 4 horas. Nega história de claudicação intermitente prévia. Exame físico: membro inferior esquerdo pálido, com dor à palpação de panturrilha e sem pulsos femoral, poplíteo, tibial posterior e pedioso. No membro contralateral, todos os pulsos estão presentes e cheios. Assinale o diagnóstico e conduta.

A
Oclusão arterial aguda embólica; anticoagular o paciente e encaminhá-lo o mais rápido possível para o centro cirúrgico para desobstrução arterial de urgência.
B
Oclusão arterial aguda trombótica; anticoagular o paciente e encaminhá-lo o mais rápido possível para o centro cirúrgico para se proceder à desobstrução arterial de urgência.
C
Oclusão arterial aguda embólica; anticoagular o paciente, enfaixar os membros inferiores, colocá-los em proclive, realizar fasciotomia para tratar a síndrome compartimental instalada e programar arteriografia.
D
Oclusão arterial aguda trombótica; anticoagular o paciente, enfaixar os membros inferiores, colocá-los em proclive e programar arteriografia.
E
Oclusão arterial aguda embólica; enfaixar os membros inferiores, colocá-los em posição de Trendelemburg e iniciar anticoagulação sistêmica.
Paciente de 32 anos, masculino, internado há 5 dias com dispneia por pneumonia da comunidade. Febre alta nos 2 primeiros dias e 1 pico de 38ºC há 48h. Atualmente: Consciente, frequência cardíaca de 76 por minuto, frequência respiratória de 18 por minuto, PA 110x60 mmHg, saturação 2 de 97% com ar ambiente e RX de tórax com infiltrado no 1/3 inferior do hemitórax esquerdo. Em situações como esta, qual seria a melhor conduta?
Doença de Chagas: diagnóstico e uso de Rochagan. Paciente masculino, 23 anos, há cinco dias com edema localizado, indolor, nas pálpebras e região periorbitária direita, seguido de adinamia e febre baixa. Residente em Palhano ­CE.Traz imunofluorescência indireta (IgG) reagente para Trypanosoma cruzi. Qual conduta mais adequada?
Homem de 18 anos sofreu ferimento por arma de fogo na região torácica, com grande perda sanguínea. Chegou ao pronto-socorro em franco estado de choque hipovolêmico, onde recebeu rápida infusão de solução cristaloide. Havia indicação precisa para administração de concentrado de hemácias e toracotomia de urgência. Que conduta imediata tomar em relação à hemotransfusão?
Assinale a patologia congênita mais frequente do pescoço:
Compartilhar