Questões na prática

Clínica Médica

Neurologia

Nefrologia

Homem de 48 anos de idade, vítima de atropelamento por veículo de carga foi devidamente removido e, ao chegar ao centro hospitalar, observa-se esmagamento de membros inferiores. Paciente está consciente, pontuação na escala de coma de Glasgow = 12; respiração espontânea, frequência respiratória = 22 movimentos/min; cateter nasal de O2 com 2 L/min, saturação não invasiva de O2 = 94 mmHg; frequência cardíaca = 102 batimentos/minuto, pressão arterial = 100 X 70 mmHg, equimose na face lateral esquerda do tórax, com crepitação na projeção do 8º e 9º arcos costais à palpação local. Sem exteriorização de sangramento. Realizados os procedimentos necessários para estabilização do paciente e colhidos rapidamente os exames subsidiários. Alguns minutos depois o técnico do laboratório telefona para a sala de admissão, preocupado com os resultados dos exames laboratoriais, devido a:

A
hipocalcemia.
B
hiponatremia.
C
hipomagnesemia.
D
hiperpotassemia.
E
hipofosfatemia.
O trauma continua a ser a causa mais comum de mortes e sequelas na infância. Por ano, mais de 10 milhões de crianças são atendidas nas emergências, em diversos países, para tratamento de lesões traumáticas, o que representa quase uma em cada seis crianças. A morbidade e a mortalidade do trauma ultrapassam a de todas as principais doenças em crianças e adultos jovens, fazendo com que o trauma seja o maior problema de saúde pública e de atendimento nessa população. Apesar de as prioridades no atendimento à criança não mudarem se comparadas com as prioridades no atendimento ao adulto, as crianças apresentam algumas diferenças, principalmente, anatômicas, em que a forma de ação será modificada. Nesse contexto, quanto ao adequado atendimento à criança traumatizada, assinale a alternativa INCORRETA.
Uma mulher de 25 anos de idade procura o ambulatório do H.U. com história clínica de equimoses. A contagem plaquetária encontra-se abaixo de 15.000, com hemoglobina, hematócrito e contagem de leucócitos normais. O esfregaço de sangue periférico é inespecífico, exceto pela escassez de plaquetas. O diagnóstico mais provável é:
A AIDS caracteriza-se por contagem de linfócitos T CD4+ abaixo de 200 células/mm³. Frequentemente está associada a doenças encontradas em pacientes com grave disfunção imune celular. A fase tardia da AIDS revela complicações infecciosas secundárias. Nessa classificação existe uma doença na mulher soropositiva indicadora de AIDS que é:
Marque a alternativa CORRETA:
Compartilhar