Questões na prática

Clínica Médica

Infectologia

Pneumologia

Dermatologia

Homem de 48 anos, natural de Paranaguá, estivador. Há três meses com inapetência, tosse seca, emagrecimento, tosse produtiva mucopurulenta, febre e episódios hemoptóicos. Tabagista e etilista crônico. No exame físico apresenta-se com diminuição de MV e raros estertores expiratórios no 1/3 antero-superior de hemitórax direito. O RX de tórax evidenciou condensação infraclavicular direita, com grande cavitação no seguimento anterior. As hipóteses diagnósticas mais prováveis, por ordem decrescente de probabilidade, são:

A
CA broncogênico, Abscesso pulmonar, Tuberculose
B
Abscesso pulmonar, Tuberculose, Blastomicose
C
Tuberculose, CA broncogênico, Pneumonia por Gram negativo
D
Abscesso pulmonar, CA broncogênico, Pneumonia por Gram negativo
E
Tuberculose, Abscesso, Paracoccidioidomicose
A Síndrome de Mallory-Weis geralmente é associada a:
Paciente de 45 anos, referindo dispneia de esforço e síncope ao exercício. Exame físico: pulso radial de 80 bpm e digitiforme; PA = 100 x 70 mmHg; AC= RCR 3T(B4), sopro mesossistólico em borda esternal esquerda, que aumenta de intensidade com a posição supina e reduz com o acocoramento. Qual a etiologia?
Alcoólatra é admitido após queda da própria altura, em estado de coma profundo e com exame neurológico revelando: hiperpneia neurogênica, pupilas mediodilatadas e não fotorreagentes; diminuição do reflexo oculocefálico e esboçando postura de descerebração à direita. O local provável da lesão é:
Paciente portador de tratura da diálise do úmero, com incapacidade de extensão do punho e das articulações metacarpofalangeanas apresenta:
Compartilhar