Questões na prática

Clínica Médica

Hepatologia

Homem de 48 anos, transferido do pronto-atendimento com história de hematêmese e melena, de inicio há 12 horas. Já fez consulta há 6 meses com hepatologista por ter sido detectado problema numa doação de sangue. Nega antecedentes de alcoolismo, sabe ser hipertenso e não se trata, relatando acidente automobilístico com transfusão sanguinea na adolescência. Exame físico: PA = 100/60 mmHg, FC = 140bpm, com respiração ofegante e agitação psicomotora. Está com veia de grosso calibre puncionada. Hemoglobina = 7,5g/dl. Qual a conduta imediata ?

A
Promover expansão volêmica e solicitar endoscopia digestiva alta após estabilização dos sinais vitais.
B
Realizar lavagem gástrica com solução salina gelada e providenciar infusão venosa de bloqueador de bomba.
C
Transfusão de concentrado de hemácias e colher sorologias para hepatites B e C, e exames bioquímicos necessários.
D
Passar balão de Sengstaken-Blackemore e transferir para CTI.
E
Solicitar endoscopia digestiva alta e colher amostra de sangue para exames de hepatite e bioquímicos.
G2P0A1, 10 semanas, dá início ao pré-natal preocupada por ter perdido seu cartão de vacinas. Em relação à vacinação da gestante, qual alternativa está INCORRETA?
Às três horas da manhã, você é chamado na sala de emergência para atender uma criança de quatro anos de idade com histórico de diarreia líquida. No exame físico, a criança encontra-se prostrada, pálida, FR 45 ipm, com ruídos respiratórios presentes e bilaterais, FC 150 bpm, enchimento capilar de 5 segundos. Você coloca a criança na máscara facial 10 I/min e solicita à enfermagem pegar um acesso venoso. Qual é a sua próxima conduta?
Em urologia um diagnóstico corriqueiro é o de nefrolitíase. Os distúrbios metabólicos que podem contribuir para a formação de cálculos renais são, EXCETO:
O trauma continua a ser a causa mais comum de mortes e sequelas na infância. Por ano, mais de 10 milhões de crianças são atendidas nas emergências, em diversos países, para tratamento de lesões traumáticas, o que representa quase uma em cada seis crianças. A morbidade e a mortalidade do trauma ultrapassam a de todas as principais doenças em crianças e adultos jovens, fazendo com que o trauma seja o maior problema de saúde pública e de atendimento nessa população. Apesar de as prioridades no atendimento à criança não mudarem se comparadas com as prioridades no atendimento ao adulto, as crianças apresentam algumas diferenças, principalmente, anatômicas, em que a forma de ação será modificada. Nesse contexto, quanto ao adequado atendimento à criança traumatizada, assinale a alternativa INCORRETA.
Compartilhar