Questões na prática

Clínica Médica

Cirurgia

Gastroenterologia

Homem de 50 anos com quadro de pirose retroesternal e regurgitação leve há 10 anos, com períodos de sintomatologia irregulares e uso intermitente de IBP. Há um ano houve agravamento do quadro clínico, com episódios de odinofagia e piora da pirose retroesternal. Na endoscopia EED de um mês, verificou-se: hérnia hiatal de 3 cm com erosões esparsas no terço distal do esôfago e Barrett de 2 cm; BEG, corado, IMC - 25 e sem comorbidades. Conduta:

A
Trocar o IBP.
B
Aumentar a dose do IBP e acrescentar um eucinético (p.ex.: domperidona).
C
Esofagomanometria e pHmetria de 24 horas.
D
Ablação da mucosa de Barrett por método endoscópico.
E
Cirurgia de Nissen videolaparoscópica.
A leishmaniose visceral apresenta uma tendência crescente em algumas áreas do Município de Fortaleza, chegando a alcançar 120 casos em média por ano em 2005 e 2006. O seguinte conjunto de situações é considerado como representativo de maior gravidade para a leishmaniose visceral:
Paciente vítima de briga de bar apresentando inúmeros ferimentos de arma branca em tórax e abdome, um deles com evisceração. Apresentava-se eupneico e com o murmúrio vesicular normal em todo o campo pulmonar e as bulhas cardíacas estavam normofonéticas. A radiografia de tórax não evidenciou pneumotórax. Foi levado à laparotomia exploradora onde foram evidenciados inúmeras perfurações em estômago, jejuno e cólon, sem hemorragia intra-abdominal significativa. Após 1 hora de procedimento cirúrgico, o paciente apresentou hipotensão severa que não respondeu à reposição volêmica com cristalóides. Marque a resposta correta.
O seguimento do paciente com cirrose para diagnóstico de Hepatocarcinoma deverá ser feito como?
Cibele, 40 anos, portadora de insuficiência mitral secundária a prolapso, procurou serviço médico com queixa de febre e odinofagia há 3 dias. O exame físico demonstrou estalido mesosistólico em área mitral e discreta hiperemia de orofaringe. A melhor conduta é:
Compartilhar