Questões na prática

Clínica Médica

Cardiologia

Nefrologia

Homem de 67 anos, tabagista de longa data, passou a apresentar, há menos de 1 ano, hipertensão arterial sistêmica. Na última consulta, há 5 anos, estava normotenso e os exames mostravam dislipidemia. Há poucos meses, começou a fazer uso de estatinas e adotou um programa de exercícios, que vem cumprindo parcialmente. Na investigação atual, o potássio sérico é de 3,5 mEq/L, o EQU está normal e a ultrassonografia abdominal mostra rim esquerdo com 8 cm (polo a polo) e rim direito com 14 cm. Qual a causa mais provável da hipertensão arterial?

A
Estenose de artéria renal por ateroma.
B
Estenose da artéria renal por displasia fibromuscular.
C
Nefropatia de refluxo unilateral.
D
Glomerulonefrite primária.
E
Refluxo vesicoureteral congênito unilateral.
No acompanhamento do trabalho de parto podemos detectar, através do partograma:
Paciente de 45 anos e sem co-morbidades apresenta quadro clínico de sangramento uterino anormal há 40 dias, de forma intermitente e de média intensidade. Ao exame clínico geral apresenta palidez cutâneo- mucosa de 2+/4+, eupneica, com ritmo cardíaco regular, sopro holossistólico de 1+/6+ pressão arterial de 130x90mmHg e frequência cardíaca de 98 bpm. Ao exame pélvico apresenta útero de volume normal sangrando com eliminação de coágulos. A dosagem de hemoglobina é de 7,0g%. Diante deste quadro a conduta mais adequada é:
No recém-nascido exposto ao HIV, caso a criança possua 2(duas) cargas virais indetectáveis, de acordo com o Ministério da Saúde, o próximo procedimento seria:
O tuberculostático que pode ocasionar como efeito adverso neuropatia periférica é:
Compartilhar