Questões na prática

Pediatria

Pediatria Geral

Homem de 68 anos comparece à Unidade Básica de Saúde em busca de orientações sobre imunizações contra tétano e influenza. Nega ser portador de doenças crônicas. Refere acidente com prego há 1 dia, tendo sofrido lesão perfurante em calcanhar direito. Em sua carteira de vacinação, consta esquema vacinal atualizado de acordo com o Programa Nacional de Imunizações do Adulto e do Idoso, sendo que há 2 anos fez o reforço do toxoide tetânico. A conduta adequada é:

A
realizar limpeza do ferimento, aplicar uma dose de reforço da antitetânica por tratar-se de ferimento profundo e não aplicar soro antitetânico; indicar realização de vacina anual contra influenza durante a Campanha Nacional de Vacinação do Idoso
B
realizar limpeza do ferimento, reforço vacinal e soro antitetânico, por tratar-se de lesão não superficial em paciente idoso; indicar realização de vacina anual contra influenza durante a Campanha Nacional de Vacinação do Idoso.
C
realizar limpeza do ferimento; não aplicar reforço vacinal contra tétano ou soro antitetânico; não indicar vacina contra influenza, já que o paciente nega ser portador de doenças crônicas.
D
realizar limpeza do ferimento, não aplicar reforço vacinal, mas aplicar soro antitetânico e indicar realização de vacina anual contra influenza durante a Campanha Nacional de Vacinação do Idoso.
E
realizar limpeza do ferimento; não aplicar reforço vacinal, nem soro antitetânico e indicar realização de vacina anual contra influenza durante a Campanha Nacional de Vacinação do Idoso.
LHSV, 31 anos, masculino, pardo. Queixava-se a um mês de edema progressivo nos membros inferiores, associado à dor e limitação funcional. Vem fazendo uso de anti-inflamatório e diurético, porém evoluindo com intensificação do quadro álgico e comprometimento também de membros superiores, chegando a ter que retirar a aliança. Procurou Serviço de Urgência, sendo examinado: paciente lúcido, orientado no tempo e no espaço, normocorado e hidratado Tax: 37ºC; PA: 135x85 mmHg, Pulso radial: 92 bpm; Ausculta cardíaca e pulmonar sem alterações; exame do Abdome sem alterações. Infiltração cutânea na face e pavilhões auriculares (E>D); madarose. Edema (2+/4) com discreto eritema nos antebraços; edema/eritema nos dedos das mãos, com dor à palpação e mobilização ativa e passiva, nervos cubitais espessados (D>E), dolorosos à palpação. Edema depressível nas pernas e pés; nódulos e pápulas (de 3 a 1 cm), recobertos por pele normal, nas pernas. Hipoestesia nos antebraços e mãos e anestesia nas pernas. A etiologia do quadro neurológico deve ser:
Qual das situações clínicas maternas implica em um maior risco para o desenvolvimento da Síndrome do Desconforto Respiratório no neonato?
Sobre o uso de FAST (Focused Assessment Sonography in Trauma) podemos confirmar as afirmativas exceto:
As afirmações abaixo sobre dietas enterais são corretas, exceto:
Compartilhar