Questões na prática

Cirurgia

Cirurgia Geral

Cirurgia do Aparelho Digestivo

Homem de 78 anos de idade em consulta de avaliação pré-operatória para estratificação do risco de complicações cardiológicas, referentes a uma cirurgia de retirada de um carcinoma espinocelular de face, com anestesia local. É portador de insuficiência cardíaca compensada e diabetes, também compensado. Ao exame clínico: íctus desviado para esquerda, sem outras alterações. O eletrocardiograma mostra alterações difusas da repolarização ventricular, a radiografia de tórax e os exames laboratoriais estão todos normais. Neste momento a conduta adequada é:

A
pedir teste de esforço para melhor avaliação da isquemia cardíaca antes da cirurgia.
B
nenhuma intervenção ou orientação suplementar específica para a cirurgia.
C
introduzir diltiazem antes do procedimento cirúrgico.
D
solicitar cintilografia de perfusão miocárdica para melhor estratificação do risco cirúrgico do paciente.
E
suspender a cirurgia e encaminhar ao cardiologista para melhor avaliação da insuficiência cardíaca e da possível insuficiência coronariana.
Paciente de 52 anos de idade, masculino, com diabetes mellitus tipo II, apresenta início súbito de diplopia. O exame neurológico revela paralisia do III nervo. Qual a característica da paralisia do III nervo?
Em tumores de bexiga, assinale a alternativa que melhor se adequa à utilização da complementação da ressecção transuretral (RTU), chamada de re-RTU.
Com relação à Insuficiência Renal Aguda (IRA) na infância assinale a afirmativa correta:
Em um paciente com trauma fechado e fratura pélvica, que não apresenta diurese após a inserção do cateter, qual é o melhor método de avaliação do ferimento uretral?
Compartilhar