Questões na prática

Clínica Médica

Infectologia

Pneumologia

Dermatologia

Já em relação ao exame bacteriológico para o diagnóstico da tuberculose pulmonar, marque a alternativa INCORRETA:

A
A baciloscopia direta do escarro é um método fundamental, porque permite descobrir as fontes mais importantes de infecção - os casos bacilíferos.
B
A baciloscopia direta do escarro deve ser sempre solicitada para os pacientes adultos que procurem o serviço de saúde por apresentarem queixas respiratórias ou qualquer outro motivo, mas que espontaneamente, ou em resposta ao pessoal de saúde, informem ter tosse e expectoração por duas semanas.
C
A baciloscopia direta do escarro também deve ser sempre solicitada para os contatos de casos de tuberculose pulmonar bacilíferos que apresentem queixas respiratórias.
D
Recomenda-se, para o diagnóstico, a coleta de duas amostras de escarro, uma por ocasião da primeira consulta e a segunda, independente do resultado da primeira, na manhã do dia seguinte ao despertar.
Uma menina de 1 ano e 3 meses consulta em companhia da mãe por apresentar uma febre há 2 dias, recusa alimentar, choro e sialorreia . Ao exame físico identificam-se pequenas ulcerações no palato mole e pilares amigdalinos, faringe hiperemiada e segmento anterior da cavidade e segmento anterior da cavidade oral poupado. Qual o diagnóstico mais provável e o agente etiológico envolvido, respectivamente?
Um homem de 60 anos de idade com diagnóstico de colecistite crônica calculosa será submetido à colecistectomia videolaparoscópica. Ele também apresenta hipertensão arterial sistêmica, em uso de medicação, com bom controle da pressão; não tem outras queixas ou doenças associadas além das citadas e não faz uso de outros medicamentos. Considerando o caso clínico apresentado, a avaliação pré-operatória desse paciente e o ato anestésico, julgue o item. Em casos semelhantes ao apresentado, geralmente é permitido ao paciente, durante o período perioperatório, continuar utilizando as medicações anti-hipertensivas.
Um  homem de  60 anos de idade com diagnóstico de colecistite crônica calculosa será submetido à colecistectomia videolaparoscópica. Ele também apresenta hipertensão arterial sistêmica, em uso de medicação,  com bom controle da pressão; não tem outras queixas ou doenças associadas além das citadas e não faz uso de outros medicamentos. Considerando o caso clínico apresentado, a avaliação pré-operatória desse paciente e o ato anestésico, julgue o item. De acordo com a ASA (American Society of Anesthesiologists), esse paciente é classificado, quanto ao estado físico, como ASA I, pois a doença sistêmica que apresenta é leve e está compensada.
Um homem de 60 anos de idade com diagnóstico de colecistite crônica calculosa será submetido à colecistectomia videolaparoscópica. Ele também apresenta hipertensão arterial sistêmica, em uso de medicação, com bom controle da pressão; não tem outras queixas ou doenças associadas além das citadas e não faz uso de outros medicamentos. Considerando o caso clínico apresentado, a avaliação pré-operatória desse paciente e o ato anestésico, julgue o item. Nesse paciente, o uso do anestésico inalatório halotano promove o aumento da pressão arterial, por provocar aumento da resistência vascular sistêmica.
Compartilhar