Questões na prática

Cirurgia

Cirurgia do Aparelho Digestivo

Januária, 24 anos, realizou, há 18 meses, cirurgia de derivação gástrica em y de Roux por via laparoscópica devido à obesidade mórbida. No 3° dia de pós-operatório apresentou taquicardia e desconforto abdominal e, no dia seguinte, observou-se drenagem de secreção biliosa pela ferida operatória. Este quadro sugere:

A
Deiscência de sutura de coto duodenal.
B
Fístula na anastomose gastrojejunal.
C
Lesão inadvertida da vesícula biliar.
D
Fístula na anastomose jejuno-jejunal.
Primigesta, 17 anos de idade, na 17ª semana de gestação, trouxe, na consulta de pré-natal, cartão de vacinação mostrando esquema completo para tétano aos 10 anos de idade. Em relação à recomendação do esquema vacinal da dupla adulto (difteria e tétano) durante a gravidez, a conduta correta para esta gestante é:
Criança, 11 anos de idade, foi trazida pela mãe para avaliação do peso, pois acha que seu filho está gordo. Não pratica atividades físicas regularmente, come muito carboidrato, bebe refrigerante diariamente e não gosta de verduras, legumes e frutas. Na avaliação antropométrica nota-se: peso = 43,5 kg, estatura = 1,40 m, IMC = 22,2 kg/m² (entre o percentil 90 e 95 da curva masculina para IMC - NCHS / CDC 2000). O estado nutricional do menino é:
Primigesta, após 4 consultas de pré-natal sem intercorrências, chegou à maternidade com dilatação total. O parto ocorreu de imediato e nasceu uma criança pesando 1.430 g, com pele fina e lisa, com capurro somático de 32 semanas. Após a recepção, a criança encontrava-se corada, com algumas retrações intercostais e frequência respiratória de 70 irpm. Suspeitou-se de membrana hialina, cujo principal diagnóstico diferencial é:
A alternativa que NÃO É um dos critérios clínicos para o diagnóstico da síndrome do antifosfolípide é:
Compartilhar