Questões na prática

Cirurgia

Cirurgia Geral

João, 58 anos, natural de Minas Gerais, hipertenso há 20 anos, chega à Emergência com dor abdominal aguda seguida por distensão e vômitos fecaloides, há 24 horas. História de cirurgia para apendicite aguda há 24 horas e doença diverticular. Exame físico: T.ax 36,5°C, PA 90 x 60 mmHg, FC 108 bpm, FR 28 irpm. Exames laboratoriais iniciais: hematócrito 45%, leucócitos 10.000/mm3, creatinina 1,6 mg/dL, ureia 78 mg/dL, K 4,9 mEq/l, Na 140 mEq/l. A conduta, após estabilização hemodinâmica, é:

A
cateterismo nasogástrico e tomografia computadorizada após 48 horas.
B
antibioticoterapia e reavaliação clínica em 72 horas.
C
laparotomia exploradora.
D
dieta zero e pró-cinéticos.
Um paciente de 80 anos de idade foi submetido a uma operação de emergência por um aneurisma de aorta roto. O paciente estava instável hemodinamicamente. O cirurgião observou uma lesão no ureter esquerdo comprometendo 50% da circunferência. A conduta mais adequada para esse caso é:
Mulher de 70 anos apresentou lesão ulcerada com 5 cm de diâmetro na grande curvatura do corpo gástrico. O exame anatomopatológico revelou adenocarcinoma com células em anel de sinete. Exames de estadiamento não demonstraram doença metastática. Avaliação clínica pré-operatória mostrou baixo risco cirúrgico. Qual a conduta mais adequada?
Paciente feminina, 25 anos, apresenta diagnóstico de doença de Crohn há cerca de 1 ano, com uso de mesalazina 2 g/dia. Em qual destas situações abaixo o acompanhamento clínico desta paciente pode ser efetivo e seguro?
Na displasia do desenvolvimento de quadril, qual manobra é usada para verificar se o quadril é luxável?
Compartilhar