Questões na prática

Clínica Médica

Hepatologia

Josefina, de 54 anos, deu entrada na emergência com quadro clínico compatível com o diagnóstico de colecistite aguda, posteriormente confirmada por exames laboratoriais e de imagem. O tratamento clínico indicado incluiu dieta zero, hidratação venosa, analgesia e antibioticoterapia. O uso de antibiótico, indicado para Josefina, tem como finalidade a cobertura da infecção por germes do tipo GRAM:

A
positivos.
B
negativos e positivos.
C
positivos e anaeróbios.
D
negativos e anaeróbios.
Paciente feminina, 46 anos, inicia em casa com diarreia e evolui para confusão mental. É trazida ao pronto-socorro. Está confusa (Glasgow = 14), febril (39ºC), FC = 148 bpm, PA = 80/40. É ressuscitada com volume e vasopressores. Cateter de artéria pulmonar antes do volume e vasopressores com PVC = 8, PAP = 28, PAPO = 12, DC = 9,8, IC = 4,9, IRVS = 600. (DC = débito cardíaco, IC = índice cardíaco, IRVS = índice de resistência vascular sistêmica, PVC = pressão venosa central, PAPO = pressão da artéria pulmonar ocluída, PAP = pressão média da artéria pulmonar) O diagnóstico diferencial do choque inclui:
Em pacientes recebendo suporte renal com diálise na UTI, assinale a alternativa INCORRETA.
Os nódulos pulmonares solitários:
A bexiga hiperativa é caracterizada por urgência miccional, com ou sem incontinência de urgência e associada ao aumento da frequência miccional, podendo ser primária (idiopática) ou secundária. São causas conhecidas de bexiga hiperativa:
Compartilhar