Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Obstetrícia

Jovem de 17 anos, com 38 semanas de gestação, foi internada no centro obstétrico por encontrar-se na fase ativa do trabalho de parto sem comorbidades ou intercorrências. Feito o bloqueio peridural para analgesia, a paciente sofreu parada cardiorrespiratória, que não reverteu após as manobras de ressuscitação realizadas durante 5 minutos. Qual a próxima conduta a ser adotada?

A
Manter os esforços de ressuscitação, utilizando os mesmos medicamentos e doses empregados fora da gestação; a sobrevivência do feto depende da ressuscitação materna.
B
Realizar cesariana de emergência com intenção de aumentar a chance de ressuscitação materna.
C
Realizar cesariana de emergência com intenção de salvar o feto.
D
Manter as manobras de ressuscitação por até 10 minutos e, na ausência de resposta, realizar cesariana de emergência.
E
Manter os esforços de ressuscitação e aumentar as doses dos vasopressores para compensar o aumento do volume circulatório decorrente da gestação.
Das complicações da parotidite, a menos frequente é:
Toxicômano dá entrada na emergência com crise convulsiva. O médico que o atende suspeita de intoxicação aguda por cocaína, porque há concomitantemente:
Sobre a Dacriocistite podemos afirmar, exceto:
O transtorno do Pânico se caracteriza por ataques recorrentes de ansiedade grave, não restritos a qualquer situação ou conjunto de circunstâncias em particular. Dentre os critérios para o diagnóstico de ataque de pânico (DSM-IV) não de encontra:
Compartilhar