Questões na prática

Pediatria

Pediatria Geral

Juliana, 2 meses e 25 dias de vida, chega ao pronto-atendimento com febre. A mãe relata que há 12 horas vem notando a criança muito “quentinha”. Ela sente-se insegura, Juliana é sua primeira filha e o pai está preso em Bangu I por tráfico e uso de drogas. Juliana nasceu de parto normal, realizado na emergência, pensando 3500g. Não foi amamentada ao seio, usando exclusivamente fórmula láctea. A mãe não realizou pré-natal e perdeu a carteira de imunizações da filha. Exame físico: peso 5.100g, T.ax 38,5°, FC 148bpm, FR 40 irpm. Lactente ativa, sem sinais de irritação meníngea, eupneica, com pequena lesão cicatricial em região deltoide de braço direito. Demais aparelhos e sistemas sem aterações. A causa mais comum de acidentes não fatais nessa faixa etária é:

A
asfixia.
B
queda.
C
queimadura.
D
intoxicação.
Na etiopatogenia do câncer gástrico, alguns fatores devem ser considerados como importantes. Dentre os citados abaixo, destacam-se:
Um homem de 37 anos vitima de agressão por uma arma branca no abdome deu entrada no PS. Ao exame apresentava-se inconsciente e com sinais de choque hipovolêmico. Com relação à profilaxia do tétano a conduta mais adequada neste caso é:
Lactente dá entrada em PS com quadro de diarreia aguda. Após a introdução de Terapia de Reidratação Oral (TRO), observa-se aumento da frequência e volume das fezes. Sua conduta é:
Criança de 06 anos de idade apresenta-se com quadro de febre alta, dor torácica, dispneia, tosse seca. A radiografia de tórax mostra uma condensação pneumônica no hemitórax direito com discreto derrame pleural. O agente etiológico mais provável é:
Compartilhar