Questões na prática

Pediatria

Pediatria Geral

Doenças Respiratórias

Lactente com 6 meses de idade compareceu ao ambulatório com queixa de coriza, tosse e febre baixa há 2 dias. Ao exame a criança se apresentava em bom estado geral, eupneica, com ausculta pulmonar normal. Otoscopia normal e hiperemia de orofaringe. Nesse dia estava marcada a 3ª dose da vacina tetravalente e anti-pólio. Qual a orientação adequada em relação à vacinação desta criança?

A
As vacinas devem ser aplicadas normalmente, visto que um resfriado comum não contraindica a vacinação.
B
Orientar para adiar a vacinação até que haja melhora da febre.
C
Fazer a vacina anti-pólio e adiar a vacina tetravalente até que haja melhora da febre.
D
Substituir a vacina tetravalente pela tríplice acelular e aplicar a vacina Sabin.
Criança de 10 anos é levada ao consultório médico por apresentar, segundo familiares, uma massa em abdome, do lado direito, que surgiu há pouco tempo. Associado a esse quadro, os familiares referem que a criança tem apresentado dor abdominal, discreto emagrecimento e ocasionalmente sangramento na urina. Ao realizar exame complementar, a US de abdome revelou grande massa localizada em região renal esquerda. Diante do quadro descrito, o diagnóstico é:
Em relação a um paciente com olho vermelho, são apresentadas as seguintes assertivas: I. A iridociclite apresenta-se com ardência, prurido e secreção mucoide e ocorre, na maioria das vezes, em pacientes com história de exposição recente à substância alergênica; II. A conjuntivite bacteriana apresenta secreção mucopurulenta, conjuntivas lisas e inflamadas, com pontos vermelhos e sem adenopatia pré-auricular; III. A conjuntivite viral apresenta secreção mais fluida que na bacteriana, folículos translúcidos circundados por vasos sanguíneos e adenopatia pré-auricular. Qual é a alternativa CORRETA?
A avaliação do Desenvolvimento Neuropsicomotor (DNPM) de uma criança no primeiro mês de vida deve conter os dados relacionados à postura, tono, força muscular e movimentação; à observação da reação da criança aos estímulos sonoros e luminosos, do choro, da amamentação e à pesquisa dos reflexos transitórios de um recém-nascido de 15 dias de vida, nascido de apresentação cefálica, quando examinado em decúbito dorsal, ao tentar retificar os membros superiores e inferiores e abrir as mãos, espera-se:
Criança de cinco meses, sexo masculino, é levada para consulta de puericultura de rotina, com mãe muito preocupada com o desenvolvimento de seu filho que não está com sustento cervical completo e que o filho da vizinha de quatro meses já está todo “durinho”. O pediatra então colhe a história da criança que mostra uma gestação com seis consultas, sorologias da gestante normais e que, com 24 semanas de gestação, a gestação tornou-se de alto risco devido à hipertensão arterial da gestante e que, com 28 semanas, foi necessária a realização de cesariana devido ao descontrole da hipertensão arterial. No relatório da maternidade, mostrou que o RN ficou em ventilação mecânica por quatro dias, recebeu surfactante, teve sepse presumida tratada por 10 dias, avaliação de retina normal e ultrassom transfontanelar normal. No exame do pediatra da puericultura, foi notado um PC: 38 cm, sustento cervical incompleto, sorriso social, tônus adequado, reflexos primitivos todos presentes e criança acompanhava com olhar estímulo de luz nas quatro direções. Frente ao não sustento cervical nessa criança de cinco meses, qual a melhor conduta?
Compartilhar