Questões na prática

Clínica Médica

Pediatria

Nefrologia

Pediatria Geral

Lactente de quatro meses, previamente hígido, aleitamento materno exclusivo, pesando 5 kg, é atendido na emergência com desidratação grave. Foram feitas duas fases de expansão rápida, 1ª fase: 50 ml/kg em 1 hora e 2ª fase: 30 ml/kg em 1 hora de soro fisiológico, mas a criança não apresentou diurese. Os exames solicitados apresentaram os seguintes resultados: Na = 118 mEq/l, K = 3,5 mEq/l e Ca = 8,3 mg/dl. Assinale a alternativa que contém a conduta imediata a ser adotada.

A
Prescrever a nova fase de expansão com SF 0,9% com 25 ml/kg em 1 hora, seguida de hidratação de manutenção caso a diurese esteja presente.
B
Corrigir a hiponatremia com a infusão de NaCI a 3% em torno de 2 horas.
C
Repetir fase rápida com acréscimo de bicarbonato.
D
Iniciar fase de manutenção adicionando cálcio para corrigir o distúrbio de cálcio evidenciado.
E
Iniciar fase de manutenção com KCI 15% em uma infusão de 4 mEq/100cal.
Em um paciente portador de carcinoma epidermoide localizado ________ é indicado o esvaziamento cervical ______________:
No exame de rotina de um lactente de quatro meses com dificuldade de ganho ponderal você observa presença de um sopro cardíaco holossistólico de regurgitação, mais audível entre o terceiro e quarto espaços intercostais esquerdos, irradiando-se em faixa para a direita, e segunda bulha hiperfonética na área pulmonar. No raio X de tórax observa-se aumento da circulação pulmonar com cardiomegalia à custa das cavidades esquerdas. O diagnóstico mais provável é:
Um menino de 5 meses, eutrófico, recebendo aleitamento materno com exclusividade, é trazido à unidade básica de saúde por dores abdominais intensas, progressivas e intercaladas com períodos de acalmia. Ao exame físico, está afebril, hidratado, pálido, com distensão abdominal, ruídos hidroaéreos aumentados difusamente e sem visceromegalias. Suas fezes são acompanhadas de muco e raios de sangue. O diagnóstico mais provável, nesse caso, é:
Nas novas diretrizes da reanimação cardiorrespiratória da criança (2015) podemos afirmar que:
Compartilhar