Questões na prática

Clínica Médica

Pediatria

Cardiologia

Neonatologia

Lactente de seis meses, portador de trissomia do cromossomo 21, apresenta história de cansaço às mamadas, infecções respiratórias de repetição, baixo ganho pondo-estatural, além de sudorese acentuada. Ao exame físico, apresenta-se acianótica, com B2 hiperfonética e desdobrada em foco pulmonar, além de sopro sistólico com regurgitação discreta em borda esternal esquerda baixa, e os pulsos arteriais normais. O ECG mostra o eixo de QRS a– 60º, além de sobrecarga bi ventricular. O diagnóstico mais provável desta criança é:

A
Comunicação interatrial.
B
Comunicação interventricular.
C
Defeito do septo atrioventricular.
D
Persistência do canal arterial.
E
Miocardiopatia dilatada.
Com relação aos efeitos colaterais da fluoexetina, a assertiva incorreta é:
Paciente, sexo masculino, 1 ano e 7 meses de idade, é admitido com aumento de volume abdominal há 4 dias, acompanhado de vômitos com eliminação de áscaris, tosse seca intermitente e olhos amarelos há um dia. Nos antecedentes, prematuro (34 semanas), diagnosticada falcemia (SS) pelo teste de triagem neonatal. Ao exame físico, descorado, desidratado, ictérico, afebril, com abdome distendido, hipertimpânico, com ruidos diminuídos, doloroso à palpação, evoluindo com piora da dor abdominal, parada de eliminação de gases e fezes, febre, taquicardia e taquipneia. Leucograma com 16 mil leucócitos, sendo 81% de neutrófilos com 4% de bastões. O diagnóstico mais provável é:
Uma mulher de 37 anos apresenta lesão enegrecida de cerca de 0,8 cm de diâmetro, no dorso. Tipo de biópsia recomendada:
Paciente com lúpus eritematoso sistêmico que apresenta poliartrite, rash malar com fotossensibilidade, úlceras orais, sem alterações no exame de urina e sem comprometimento do sistema nervoso, deve receber, como terapia inicial:
Compartilhar