Questões na prática

Pediatria

Doenças Respiratórias

Lactente, dois meses, chega ao Serviço de Emergência por apresentar tosse há duas semanas. A mãe nega febre. Pré-natal regular, sem intercorrências. Parto normal, alta em 48 horas, PN = 3.200 g. Aleitamento materno exclusivo. Ela relata que o RN aos 15 dias apresentou conjuntivite, com secreção purulenta. O exame físico revela criança em bom estado geral, afebril, taquipneico (FR = 60), acianótico. Estertores e sibilos à ausculta pulmonar. Radiografia de tórax evidencia hiperinsuflação e infiltrados intersticiais difusos. O agente etiológico mais provável é:

A
Pneumococos.
B
Pneumocystis carinii.
C
Chlamydia trachomatis.
D
Adenovírus.
E
Mycoplasma pneumoniae.
Um  homem de  60 anos de idade com diagnóstico de colecistite crônica calculosa será submetido à colecistectomia videolaparoscópica. Ele também apresenta hipertensão arterial sistêmica, em uso de medicação,  com bom controle da pressão; não tem outras queixas ou doenças associadas além das citadas e não faz uso de outros medicamentos. Considerando o caso clínico apresentado, a avaliação pré-operatória desse paciente e o ato anestésico, julgue o item. De acordo com a ASA (American Society of Anesthesiologists), esse paciente é classificado, quanto ao estado físico, como ASA I, pois a doença sistêmica que apresenta é leve e está compensada.
O Estado de Mal Epiléptico Refratário na infância ocorre quando, apesar de toda a medicação instituída, persiste a atividade convulsiva. Esta fase apresenta uma alta morbidade e mortalidade, se medidas mais efetivas não forem tomadas. Nesta fase, a medicação melhor indicada para o seu tratamento é:
Assinale o item INCORRETO, quanto aos critérios diagnósticos de um episódio maníaco:
Paciente de 18 anos refere dor aguda no testículo direito, associada a náuseas e sudorese. Ao exame local, bolsa escrotal aumentada de volume e muito dolorosa. O quadro clínico é sugestivo de:
Compartilhar