Questões na prática

Clínica Médica

Ginecologia e Obstetrícia

Endocrinologia

Infectologia

Hematologia

Nefrologia

Obstetrícia

Leia o caso clínico a seguir. Um paciente de 28 anos, do sexo masculino, procurou atendimento médico devido a edema generalizado há dois meses, hipertensão arterial, história prévia de três episódios de hematúria macroscópica isolada nos últimos dois anos, sem investigação. Os exames solicitados revelaram: creatinina = 1,5 mg/dl, ureia = 52 mg/dl, dosagem de C3 normal, EAS com proteinúria +++, hemácias= 55000, pesquisa de hemácias dismórficas na urina positiva com presença de acantócitos, proteinúria = 3,9 g/24horas, hipoalbuminemia e hipercolesterolemia, sorologias positivas para vírus B, C e HIV negativas, FAN não reagente, ultrassom renal com rins de tamanho e volume normais. Foi submetido à biópsia renal percutânea.Os achados histopatológicos e o diagnóstico mais provável, nesse caso, são, respectivamente:

A
Presença de depósitos subepiteliais (spikes) com espessamento das alças capilares - glomerulonefrite membranosa.
B
Espessamento das alças capilares com aspecto de duplo contorno - glomerulonefrite rapidamente progressiva.
C
Proliferação mesangial com expansão de matriz mesangial e depósito de IgA e C3 no mesângio - nefropatia por IgA.
D
Glomerulonefrite proliferativa com predomínio de infiltrado neutrofílico - glomerulonefrite difusa aguda (GNDA).
Uma paciente de 64 anos, hipertensa e diabética refere 2 episódios consecutivos de dor opressiva retroesternal em repouso por cerca de 20 minutos em casa, no intervalo de 24 horas (o último há 2 horas). No momento da avaliação não apresentava dor, encontrava-se eupneica, pulso 100 bpm rítmico, PA: 150x100mmHg, coração com 4ª bulha sem sopros, pulmões limpos, sem estase jugular, hepática ou periférica com pulsos normais simétricos. O ECG mostrou ritmo sinusal sem áreas inativas, com infradesnível de 1 mm do segmento ST na parede lateral do VE. O Rx de tórax demonstrou área cardíaca normal sem alargamento de mediastino ou estase pulmonar. Foi colhido material para dosagem de marcadores de necrose (CKMB e troponina). Qual a melhor conduta imediata neste caso?
Com relação à anastomose espleno-renal distal para tratamento da hipertensão portal pode-se afirmar que:
Qual a etiologia mais comum de dilatação do trato urinário diagnosticada no período antenatal:
Paciente de 22 anos com queixa de úlcera vulvar dolorosa e febre há 3 dias. Refere que há cerca de 4 dias iniciou com quadro de prurido local, pouco de dor e algumas pequenas vesículas no grande lábio direito. Ao exame, observam-se ulceras rasas, fundo limpo, dolorosas e irregulares, com cerca de 3mm cada, no grande lábio direito, em extensão de 3cm. Apresenta, também, linfadenomegalia dolorosa à direita. O que deve ser feito?
Compartilhar