Questões na prática

Clínica Médica

Ginecologia e Obstetrícia

Cardiologia

Ludmila tem 33 anos, é negra e se encontra na sua 3ª gravidez. Procurou atendimento, na 36ª semana de gestação, com dispneia progressiva aos esforços, tosse seca, ortopneia e dispneia paroxística noturna. O exame físico demonstrou ictus desviado à esquerda, com 2 polpas digitais, B4 audível no foco mitral, estertores bolhosos e edema com cacifo nos membros inferiores. A radiografia de tórax evidenciou cardiomegalia com congestão hilar. Foi aventada a hipótese de miocardiopatia periparto. Das opções de tratamento abaixo, aquela que se demonstra útil no aumento da sobrevida de Ludmila, sem oferecer riscos para a sua gravidez, é:

A
enalapril e espironolactona.
B
digoxina e furosemida.
C
nesiritide e atenolol.
D
hidralazina e nitrato.
Considerando que as alterações do estado mental correspondem a 30% das avaliações de emergência nos paciente idosos, não podemos afirmar que:
Paciente de 75 anos fez uma cirurgia de hernioplastia inguinal convencional direita pela técnica de Bassini há 6 meses. Há dois meses começou com dor e abaulamento ao esforço, foi diagnosticada recidiva da hérnia e proposto hernioplastia laparoscópica com aposição de tela. São motivos para a realização de antibioticoprofilaxia:
Paciente, 26 anos, chega à emergência com quadro de dor e distensão abdominal associado a vômitos biliosos, iniciados há dois dias. Refere que há dois anos (peso de 105 kg, altura de 1,60 m, sem comorbidades) realizou By-pass Gástrico em Y de Roux (BGYR) para tratamento de obesidade mórbida, perdendo 35 kg até o momento. Sobre esse caso, é correto afirmar que:
São medicações de primeira linha no tratamento medicamentoso de um paciente tabagista:
Compartilhar