Questões na prática

Clínica Médica

Ginecologia e Obstetrícia

Cardiologia

Ludmila tem 33 anos, é negra e se encontra na sua 3ª gravidez. Procurou atendimento, na 36ª semana de gestação, com dispneia progressiva aos esforços, tosse seca, ortopneia e dispneia paroxística noturna. O exame físico demonstrou ictus desviado à esquerda, com 2 polpas digitais, B4 audível no foco mitral, estertores bolhosos e edema com cacifo nos membros inferiores. A radiografia de tórax evidenciou cardiomegalia com congestão hilar. Foi aventada a hipótese de miocardiopatia periparto. Das opções de tratamento abaixo, aquela que se demonstra útil no aumento da sobrevida de Ludmila, sem oferecer riscos para a sua gravidez, é:

A
enalapril e espironolactona.
B
digoxina e furosemida.
C
nesiritide e atenolol.
D
hidralazina e nitrato.
Mãe comparece ao Ambulatório Araújo Lima da UFAM com lactente de dois meses apresentando há um mês estridor inspiratório que piora com decúbito dorsal. Qual o provável diagnóstico?
Uma mulher de 50 anos, procedente de Manaus, chega ao Pronto-Socorro relatando hematêmese e melena, iniciada 1 hora antes da admissão. No exame físico realizado em decúbito dorsal, não se verifica sinais de hepatopatia crônica, mas se encontra hipocorada, orientada e discretamente pálida FC 110 bpm PA 110 x 70 mmHg. Sobre o caso, marque a alternativa verdadeira:
Lactente de quatro meses, com quadro de anemia microcítica, crise convulsiva mioclônica de difícil controle desde o nascimento. O ECG mostra padrão hipsarritmia. Qual a deficiência vitamínica?
São complicações após uma herniorrafia inguinal unilateral:
Compartilhar