Questões na prática

Clínica Médica

Infectologia

Pneumologia

Dermatologia

MAC, sexo masculino, 34 anos, pardo, casado, auxiliar de pedreiro, residente em Cariacica (ES). Há 2 meses evolui com tosse, inicialmente seca, passando a produtiva de expectoração amarelada, medicado com xaropes caseiros, sem melhora. Há 3 semanas passou a apresentar episódios de febre baixa, intermitente, adinamia, cansaço, dificuldade para tolerar esforço no trabalho, e notou emagrecimento. Feito exame médico, apresentava-se febril, eupneico, levemente hipocorado, linfonodos não palpáveis, discretos estertores audíveis na região interescapular à direita, demais dados do exame físico normais; diagnosticada infecção respiratória, sendo prescrito azitromicina/5 dias e xarope antitussígeno. Evoluiu sem melhora, vindo a apresentar hemoptóicos. Retornou ao médico sendo então solicitado exame de escarro que foi positivo para BAAR em duas amostras consecutivas. O paciente é tabagista há 15 anos, nega antecedentes de pneumopatias ou outras doenças, e desconhece contato com portadores de tuberculose. Com relação ao caso acima você afirmaria que:

A
Há elementos suficientes para caracterizar como caso de turbeculose pulmonar de re-infecção do adulto (pós-primária), devendo ser iniciado imediatamente o tratamento específico.
B
Há elementos característicos de tuberculose pulmonar primária (primo-infecção evolutiva), devendo ser iniciado o tratamento específico.
C
Não há elementos suficientes para definir como caso de tuberculose, sendo necessário proceder à radiografia do tórax e cultura do escarro antes de iniciar o tratamento.
D
Pode ser firmado o diagnóstico de tuberculose, mas antes de iniciar o tratamento deve ser solicitada cultura de escarro BK e teste de sensibilidade às drogas anti-tuberculose, devido ao risco de resistência bacteriana às mesmas.
E
Trata-se de um caso de tuberculose pulmonar, mas não é possível definir se é primária ou pós-primária.
Paciente feminina, com 35 anos, portadora de obesidade mórbida, com índice de massa corpórea (IMC) = 40 kg/m2 registrado por um período de dois anos, apresentou insucesso nos tratamentos conservadores realizados continuamente, por três anos. Apresentou também hipertensão arterial. Deverá ser submetida à operação disabsortiva. Relatou dúvidas em relação às diferenças entre as diversas técnicas disabsortivas. Dentre as alternativas abaixo, assinale a incorreta.
Paciente com 60 anos, fumante ativo, apresenta tosse e expectoração hemóptica. Procurou assistência médica. A radiografia de tórax em PA (póstero-anterior) e perfil revelou opacidade hilar, gerando suspeita de câncer pulmonar. A realização de tomografia computadorizada (TC) de tórax e abdome superior poderá fornecer, exceto:
Escolar de seis anos com história de náusea ocasionalmente acompanhada de dor abdominal, seguida de cefaleia bitemporal, de caráter pulsátil, episódica, associada à fotofobia e fonofobia, com exame neurológico normal. A primeira hipótese diagnóstica é:
O diagnóstico de baixa estatura significa que a estatura da criança se situa, para seu sexo e idade, na curva de percentis:
Compartilhar