Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Ginecologia

MCR, freira de 72 anos, branca, asmática com história de uso crônico e intermitente de corticoides, hipertensa em uso de enalapril e hidroclortiazida, com Índice de Massa Corporal (IMC) de 19 Kg/m², sedentária, nuligesta, menopausa aos 46 anos e que nunca fez terapia de Reposição Hormonal. MCR foi submetida a exame de densilometria óssea com os seguintes resultados: ¾ Densidade Mineral Óssea (DMO) de L1-L4 de menos 3,7 desvios-padrão em relação à curva de massa óssea ajustada para adultos jovens e menos 2,9 desvios-padrão em relação à curva de massa óssea ajustada para a mesma idade, peso e sexo. 3/4 DMO de colo femoral de menos 1,4 desvios-padrão em relação à curva de massa óssea ajustada para adultos jovens e menos 1,0 desvios-padrão em relação à curva de massa óssea ajustada para a mesma idade, peso e sexo. Quanto ao diagnóstico densitométrico, pode-se afirmar que a paciente tem:

A
osteoporose de coluna e do colo do fêmur, sendo que apenas na coluna os resultados alertam para a possibilidade de osteoporose secundária
B
osteoporose de coluna e do colo do fêmur, sendo que tanto na coluna como no fêmur os resultados alertam para a possibilidade de osteoporose secundária
C
osteoporose de coluna e osteopenia femoral,sendo que apenas na coluna os resultados alertam para a possibilidade de osteoporose secundária
D
osteoporose de coluna e osteopenia femoral,sendo que tanto na coluna como no fêmur os resultados não permitem suspeitar de osteoporose secundária
Paciente, com 28 anos de idade, IVG, Teve 3 abortamentos no primeiro trimestre e 1 parto prematuro com óbito neonatal precoce associado a pré-eclâmpsia. Devemos orientar, a princípio:
A vigilância epidemiológica de uma UBS tomou conhecimento de um caso de rubéola em paciente com 25 anos, sexo feminino, que apresentava a seguinte história: aparecimento de algumas lesões eritematopapulosas no antebraço e abdome que se tornaram descamativas até desaparecerem. Não apresentou outros sintomas ou sinais e não teve febre durante toda a evolução do quadro. Consultou um médico 15 dias após o início do quadro que solicitou sorologia para rubéola "por se tratar de paciente do sexo feminino". O exame laboratorial foi efetuado pelo Instituto Adolfo Lutz (IAL) que processou sorologia para rubéola e sarampo para os seguintes resultados: - ELISA para rubéola: IgM não reagente; - ELISA para sarampo: IgM e IgG reagentes. Com base nos dados da história e da sorologia, assinale a alternativa correta:
Na mulher não grávida com diabetes tipo II são objetivos terapêuticos desejados, EXCETO:
Sobre os conhecimentos relacionados à hiperplasia benigna da próstata (HBP). Qual das alternativas abaixo está em desacordo com os conhecimentos atuais?
Compartilhar