Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Ginecologia

MCR, freira de 72 anos, branca, asmática com história de uso crônico e intermitente de corticoides, hipertensa em uso de enalapril e hidroclortiazida, com Índice de Massa Corporal (IMC) de 19 Kg/m², sedentária, nuligesta, menopausa aos 46 anos e que nunca fez terapia de Reposição Hormonal. MCR foi submetida a exame de densilometria óssea com os seguintes resultados: ¾ Densidade Mineral Óssea (DMO) de L1-L4 de menos 3,7 desvios-padrão em relação à curva de massa óssea ajustada para adultos jovens e menos 2,9 desvios-padrão em relação à curva de massa óssea ajustada para a mesma idade, peso e sexo. 3/4 DMO de colo femoral de menos 1,4 desvios-padrão em relação à curva de massa óssea ajustada para adultos jovens e menos 1,0 desvios-padrão em relação à curva de massa óssea ajustada para a mesma idade, peso e sexo. Quanto ao diagnóstico densitométrico, pode-se afirmar que a paciente tem:

A
osteoporose de coluna e do colo do fêmur, sendo que apenas na coluna os resultados alertam para a possibilidade de osteoporose secundária
B
osteoporose de coluna e do colo do fêmur, sendo que tanto na coluna como no fêmur os resultados alertam para a possibilidade de osteoporose secundária
C
osteoporose de coluna e osteopenia femoral,sendo que apenas na coluna os resultados alertam para a possibilidade de osteoporose secundária
D
osteoporose de coluna e osteopenia femoral,sendo que tanto na coluna como no fêmur os resultados não permitem suspeitar de osteoporose secundária
A presença de vírus B mutante pré-core deve ser suspeitada na seguinte situação:
Em relação à Insuficiência Renal Aguda (IRA), todas as alternativas são corretas, EXCETO:
Em paciente cirrótico com nódulo hipervascularizado medindo 4 cm, com trombose portal associada e alfafetoproteína com alteração significativa, o provável diagnóstico é:
Com relação às hérnias inguinais, assinale a resposta CERTA:
Compartilhar