Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Ginecologia

MCR, freira de 72 anos, branca, asmática com história de uso crônico e intermitente de corticoides, hipertensa em uso de enalapril e hidroclortiazida, com Índice de Massa Corporal (IMC) de 19 Kg/m², sedentária, nuligesta, menopausa aos 46 anos e que nunca fez terapia de Reposição Hormonal. Além de um programa de exercícios físicos, suporte nutricional e suplementação de cálcio e vitamina D e levando-se em conta a melhor relação custo-benefício, o que mais poderia ser prescrito para a freira MCR?

A
Um modulador seletivo de receptor estrogênico (SERM) como o raloxifeno
B
Um bifosfonato como o aleandronato ou o risedronato
C
Não há necessidade de outras medidas além das descritas
D
Terapia hormonal estrogênica por via transdérmica
Assinale a alternativa CORRETA quanto a IMUNIZAÇÕES:
Um menino com 1 mês de vida, raça negra, morador de área urbana, é levado pelos pais à Unidade Básica de Saúde para atendimento de rotina e vacinação. Não é oferecido nenhum medicamento à criança, que recebe aleitamento materno exclusivo. O médico avalia a criança, que tem exame físico normal, com ganho de 40 g/dia desde o nascimento. Pergunta se oferecem vitamina D ao filho e a mãe diz que não considera necessário, já que oferece exclusivamente o seio. O médico deverá conversar com os pais e propor uma conduta. Considera-se CORRETO que o médico:
Os pais de um menino de 3 anos se queixam ao médico da Unidade Básica que a criança está muito pálida. Recebeu aleitamento materno exclusivo até 6 meses de vida. Após o exame físico (peso e altura no percentil 50), o médico observa palidez intensa e solicita exames, abaixo descritos (entre parênteses, valores normais). Hemograma: Hb: 7,5 g/dL (11-14,5); Ht: 25% (33-43); VCM: 62 fL (74-89); HCM: 21 pg (24-32); CHCM: 26 g/dL (32-37); RDW (variação do volume eritrocitário): 21% (12-14). Leucócitos e plaquetas dentro da normalidade. Capacidade total de ligação do ferro: 655 µg/dL (250-425 µg/dL). Ferro sérico e Ferritina: em análise. Pode-se afirmar que:
Mulher, 24 anos de idade, recebeu o diagnóstico de lúpus eritematoso sistêmico há 1 ano. Apresentava eritema malar em asa de borboleta e poliartrite, sem acometimento de outros órgãos. Os exames laboratoriais mostraram FAN positivo (padrão pontilhado 1:800) e anti-DNA nativo positivo (1:80), sem outros achados. Hoje em tratamento com prednisona 5 mg/dia e hidroxicloroquina 400 mg/dia, encontra-se assintomática e com exames de avaliação da doença normais. É essencial para o seguimento dessa paciente:
Compartilhar