Questões na prática

Pediatria

Pediatria Geral

Médico atende no Posto de Saúde uma menina de três anos de idade, cuja mãe deseja informações sobre a necessidade de administrar vacinas complementares na filha. Ela informa ter sabido recentemente que a criança tem anemia falciforme. O cartão de imunizações está atualizado, conforme o calendário do Ministério da Saúde. A melhor orientação para o caso é:

A
tranquilizar a mãe, pois não há necessidade da menor receber vacinas complementares.
B
administrar vacina meningocócica conjugada (MncC), vacina contra varicela (VZ), vacina contra influenza (INF) e vacina pneumocócica conjugada (Pnc7).
C
administrar apenas a vacina pneumocócica conjugada (Pnc7).
D
administrar vacina meningocócica conjugada (MncC), vacina contra varicela (VZ), vacina contra influenza (INF) e vacina pneumocócica polissacarídica-23 valente (Pn23).
E
administrar a vacina contra hepatite B, vacina meningocócica conjugada (MncC), vacina contra varicela (VZ), vacina contra influenza (INF) e a vacina pneumocócica conjugada (Pnc7).
Sobre o sangramento dos tumores colorretais, pode-se afirmar que:
Vinicius, 45 anos, é empresário e viajará para Manaus a trabalho por 6 meses. Queixa-se de rouquidão pela manhã e azia há 4 anos. Sua mãe contava que ele apresentava episódios de diarreia na infância, acompanhados de distensão abdominal, cólica e assaduras (dermatite) persistentes. Na época foram retirados de sua alimentação o leite e seus derivados, sendo permitido o uso de iogurte. Evoluiu sem sintomas até a adolescência quando abandonou a dieta. Ao exame, físico está eutrófico. Foram prescritos alguns medicamentos sintomáticos e inibidor de bomba de próton (IBP), proposta a investigação diagnóstica e a profilaxia de doenças do viajante. Vinicius está assintomático após um mês de tratamento diário com IBP. A endoscopia digestiva mostra esôfago de Barret e a histopatologia afasta displasia. A esofagomanometria revela pressão normal do esfíncter esofagiano inferior e ausência de distúrbios motores. Em relação ao diagnóstico de Barrett deve-se recomendar:
Vinícius, 45 anos, é empresário e viajará para Manaus a trabalho por 6 meses. Queixa-se de rouquidão pela manhã e azia há 4 anos. Sua mãe contava que ele apresentava episódios de diarreia na infância, acompanhados de distensão abdominal, cólica e assaduras (dermatite) persistentes. Na época, foram retirados de sua alimentação o leite e seus derivados, sendo permitido o uso de iogurte. Evoluiu sem sintomas até a adolescência quando abandonou a dieta. Ao exame físico está eutrófico. Foram prescritos alguns medicamentos sintomáticos e inibidor de bomba de próton (IBP), proposta a investigação diagnóstica e a profilaxia de doenças do viajante. Vinícius permaneceu 4 meses em viagem e retorna antecipadamente com fadiga, febre elevada e dor articular intensa, calor e edema em joelho direito, tornozelo direito, dorso do pé e punho esquerdo, além de lombalgia, há 1 semana. Deambulava com grande dificuldade e havia recebido diagnóstico de tendinite do Aquileu bilateral. Ao retornar, revela ao médico ter tido relações sexuais sem preservativos com uma colega de trabalho, durante a viagem, seguida, algumas semanas após, de disúria autolimitada. O achado radiológico que pode ser compatível com o quadro descrito é:
Paciente de 48 anos faz uso de sulfonilureia para o tratamento de diabetes mellitus, além de atividade física e dieta. O principal modo de ação da droga é dado:
Compartilhar