Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Ginecologia

Menina de 17 anos, procura mastologista por nódulo palpável em mama direita com cerca de 15 mm. Preocupada em virtude da avó ter falecido por câncer de mama aos 67 anos. A rotina propedêutica para essa jovem consiste em:

A
biópsia excisional do nódulo em virtude do antecedente familiar.
B
solicitar mamografia e ultrassom das mamas.
C
orientar seguimento semestral com médico e auto-palpação mensalmente.
D
solicitar ultrassom das mamas para definir a natureza do nódulo.
E
sendo nódulo sólido, em virtude da paciente ter risco familiar para câncer de mama, prescrever quimioprevenção com tamoxifeno.
Paciente do sexo masculino, 45 anos, vítima de acidente automobilístico, por apresentar hematoma intra-hepático, sem hemoperitônio ou necessidade de procedimento operatório, é acompanhado com tomografia computadorizada. Oito dias após, evolui com icterícia, dor no quadrante superior direito, mal estar e melena. O exame a ser realizado e o provável diagnóstico são, respectivamente:
Menino, oito anos, é trazido à consulta ambulatorial por apresentar tosse diária há mais de dois meses e sensação de aperto no peito, principalmente à noite. Segundo a mãe, esses sintomas têm interferido no seu sono, pois ele acorda toda noite devido à tosse. Relata alívio temporário com o uso de beta-2 inalatório. História prévia de asma, porém, sem sintomas há um ano. Quanto à classificação da gravidade do quadro respiratório desse escolar, pode-se afirmar que se trata de asma:
O esquema terapêutico proposto para os RNs com infecção congênita pelo toxoplasma e com coriorretinite em atividade é:
Lactente, dois meses, chega ao Serviço de Emergência por apresentar tosse há duas semanas. A mãe nega febre. Pré-natal regular, sem intercorrências. Parto normal, alta em 48 horas, PN = 3.200 g. Aleitamento materno exclusivo. Ela relata que o RN aos 15 dias apresentou conjuntivite, com secreção purulenta. O exame físico revela criança em bom estado geral, afebril, taquipneico (FR = 60), acianótico. Estertores e sibilos à ausculta pulmonar. Radiografia de tórax evidencia hiperinsuflação e infiltrados intersticiais difusos. O agente etiológico mais provável é:
Compartilhar