Questões na prática

Cirurgia

Cirurgia do Trauma

Motociclista, 24 anos de idade, sem capacete, sofre traumatismo cranioencefálico ao ser atingido por um carro. Chega ao pronto-socorro completamente imobilizado. Não responde a estímulos verbais ou dolorosos e não mexe os membros. A PA é de 70/60 mmHg, a FC de 40 batimentos por minuto e a FR de 35 incursões por minuto. O primeiro passo no tratamento deste paciente é:

A
Obter via aérea definitiva.
B
Fazer tomografia computadorizada de crânio.
C
Fazer raio X de perfil de coluna cervical.
D
Iniciar a administração de cristaloide através de duas veias calibrosas.
Durante uma colisão automobilística, um homem de 56 anos foi violentamente lançado contra o volante de seu caminhão. Na chegada ao pronto-socorro, ele apresentava sudorese e queixava-se de dor torácica. A pressão arterial era 60/40 mmHg, e a frequência respiratória 40 incursões por minuto. Como causa da hipotensão desse paciente, o achado que diferencia tamponamento cardíaco de pneumotórax hipertensivo é como se encontra:
Menino de sete anos, com história de tosse e dispneia há sete dias, sem febre, apresenta: FR: 30 ipm, presença de tiragem intercostal, AP: MV diminuído em HTD. RX tórax indica presença de alargamento de mediastino, mais importante à direita. O provável diagnóstico, nesse caso, é:
Recém-nascido a termo, pequeno para idade gestacional, baixo peso, nasceu de parto cesárea, com apgar 5 e 8, peso de 1600g, HTº 65%, PCR negativo. Evoluiu com desconforto respiratório leve, porém persistente, com crises de cianose, hipoglicemia persistente e icterícia precoce, além de irregularidade na absorção das dietas. A hipótese diagnóstica para esse recém-nascido é:
Em relação aos distúrbios metabólicos no período neonatal, é correto afirmar:
Compartilhar