Questões na prática

Clínica Médica

Gastroenterologia

Menino de 05 anos de idade, bem nutrido, sem nenhum sinal ou sintoma prévio, voltando de uma festa, apresenta leve quadro diarreico, seguido de dor abdominal que começou em torno da cicatriz umbilical e agora migra para baixo e para a direita. Temperatura axilar, 37,9 graus e retal, 39°. Não quer comer. À palpação, há sensibilidade maior no flanco e fossa ilíaca direitos. A radiografia simples do abdome é inexpressiva, exceto pela presença de fecalito no limite inferior do flanco direito. O toque retal, embora mais sensível na parede direita e mais alta do reto, revelou apenas presença de muco. Diante deste quadro clínico, o diagnóstico mais provável é:

A
apendicite.
B
diverticulite de Meckel.
C
invaginação intestinal.
D
enterite.
E
adenite mesentérica.
Laura, 17 anos, com uma erupção malar tipo “asa de borboleta”, anemia com reticulocitose, artrite não erosiva e pleurite procurou sua pediatra, a qual solicitou um autoanticorpo, cujo resultado evidenciou altos títulos. A médica associou esse achado ao estágio de doença em atividade e à nefrite. Provavelmente, tratava-se de um quadro de
Laércio, 1 ano de idade, regularmente vacinado, iniciou, à noite, quadro súbito de coriza leve e rouquidão. Posteriormente, evoluiu com tosse metálica, agitação, inspiração ruidosa e dificuldade respiratória, porém, sem febre. Atualmente, podemos ter como hipótese mais provável:
Sobre a transmissão vertical de doenças , assinale a alternativa que apresente somente doenças passíveis de transmissão por estes mecanismos:
Paciente de 45 anos, masculino, proveniente de Palmeiras - Goiás, com queixa de ferida no pênis há 6 meses. Ao exame físico mostra lesão úlcerocrostovegetante, com bordos elevados, com 3,0 cm de diâmetro e fundo sujo. Refere relação sexual sem proteção e uso de Penicilina injetável por conta própria. Foi feita hipótese diagnóstica de doença sexualmente transmissível e câncer. Realizada biópsia da lesão. Marque a alternativa mais correta para o caso.
Compartilhar