Questões na prática

Clínica Médica

Pediatria

Infectologia

Dermatologia

Pediatria Geral

Reumatologia

Dermatologia

Menino de 3 anos com antecedente de epistaxe há 2 dias, quando foi ao Pronto Atendimento, e em uso, desde então, de tampão nasal. Iniciou subitamente no dia de hoje com febre alta, vômitos, diarreia, dor de garganta, cefaleia e mialgias. Evolui no mesmo dia com erupção macular eritematosa, com hiperemia de mucosas da faringe e conjuntivas. Apresenta na evolução alteração no nível de consciência, oligúria e hipotensão. O diagnóstico MAIS PROVÁVEL é:

A
Escarlatina.
B
Doença de Kawasaki.
C
Febre maculosa.
D
Síndrome do choque tóxico.
E
Leptospirose.
Paciente do sexo feminino, 28 anos, HIV positivo, dirige-­se a emergência devido à dor de cabeça insuportável. Na semana passada, apresentou déficit funcional motor leve do lado direito. Logo após sua admissão, apresentou quadro motor compatível com epilepsia. Exame físico: Sinais vitais normais, ausência de rigidez na nuca, hemiparesia direita e afasia. Fundo de olho apresenta edema de papila. Qual o diagnóstico provável?
Uma paciente de 56 anos consulta com queixa de sangramento vaginal irregular, com último episódio há 20 dias. Estranhou o aparecimento dos sangramentos, num total de 4 episódios nos últimos 3 meses, pois acreditava estar na menopausa, por não apresentar menstruações há aproximadamente 7 anos. Relata episódios frequentes de fogachos e labilidade emocional. Apresenta antecedentes de miomatose uterina e cauterização de colo uterino por alteração anterior em sua citologia oncótica de Papanicolaou. Teve três gestações, todas com cesáreas, realizando laqueadura tubária após o último nascimento, há 20 anos. No exame ginecológico, detectou-se a presença de útero aumentado, irregular, com mobilidade normal, e ovários não palpáveis. Qual a conduta mais indicada no momento dessa consulta médica?
Adolescente do sexo masculino, 14 anos e 6 meses, vem à consulta para acompanhamento ambulatorial. O exame físico revela: volume testicular 3,8 ml; pelos longos e finos na base do pênis; estatura 147 cm (<p3); peso 39 kg (<p3). Velocidade de crescimento: 2,5 cm/ano. Estatura materna: 141 cm, estatura paterna: 160 cm. A principal hipótese diagnóstica neste caso é:
Homem de 45 anos, apresentando dor epigástrica há 48h, acompanhada de náuseas e vômitos, astenia severa e fadiga, petéquias, hipotensão e hipotermia, chega à emergência chocado. Como não há tempo suficiente para confirmar a suspeita clínica, o tratamento do choque deverá ser iniciado de imediato. Os exames mais importantes para o diagnóstico foram eosinofilia importante, cortisol normal, hiponatremia, hipoglicemia e hipercalemia. O diagnóstico mais provável é:
Compartilhar