Questões na prática

Clínica Médica

Pediatria

Pneumologia

Menino de sete anos chega ao pronto-socorro com queixa de falta de ar. Sua mãe informa que a criança tem asma e que já foi internada duas vezes no último ano devido à gravidade das crises. Ao exame, encontra-se com sibilos difusos; FR = 32 irpm e oximetria de 92%. A melhor conduta, neste momento, é a nebulização com agonista ß2 adrenérgico e:

A
corticoide VO ou IM.
B
brometo de ipratrópio.
C
adrenalina subcutânea.
D
internação hospitalar imediata.
J.M.C, criança do sexo feminino, com 2 meses de idade, é levada, pela mãe, à Unidade de Saúde da Família, para se vacinar. Há registro de que já havia tomado, ao nascer, a dose única de BCG-ID e a 1ª e 2ª doses de vacina contra hepatite B. Segundo o Calendário de Vacinação da Criança, do Ministério da Saúde, não havendo contraindicação, ela deve, além das primeiras doses da Tetravalente (DPT + Hib) e VOP (contra pólio), receber na ocasião também a:
Sobre as crises de ausência, é correto afirmar:
Um menino de 15 meses de idade é trazido ao Pronto Atendimento por uma crise tônico-clônica generalizada de 8 minutos de duração. Na chegada ao hospital, a crise já havia cessado espontaneamente. Os pais contam que, imediatamente antes da convulsão, estava bem e não haviam observado febre. No exame inicial, a temperatura era de 39°C. Passados 15 minutos do término da convulsão, a consciência foi recuperada completamente e o exame revelou apenas infecção viral das vias aéreas. Qual das seguintes alternativas é a mais correta?
Um lactente de 4 meses de idade apresenta há 3 dias tosse produtiva, coriza, desconforto respiratório e febre. Ao exame físico constatam-se: taquidispneia, tiragens torácicas moderadas, sibilos e estertores grossos bilaterais, sem melhora significativa após uso de nebulização com broncodilatador. Ao RX de tórax evidencia-se hiperinsuflação pulmonar difusa bilateral, com áreas de hipotransparências em 1/3 superior direito e 1/3 inferior esquerdo. Qual é o diagnóstico provável?
Compartilhar