Questões na prática

Pediatria

Cardiopediatria

Milton, 1 mês e 25 dias de idade, apresenta, há 24 horas, leve coriza hialina, tosse discreta, fezes líquidas amareladas (cerca de sete evacuações), febre alta que cede com paracetamol e reaparece algumas horas depois. Hoje teve várias “crises” de choro forte e está “um pouco diferente”. Recebe leite materno e fórmula láctea industrializada desde 28 dias de idade. Exame físico: peso 4.900 g, T.ax 39,1º C, FC 144 bpm, FR 40 irpm; alterna períodos de choro intenso com apatia, irritável ao manuseio, hipertonia muscular difusa, fontanela plana levemente deprimida, elasticidade cutânea e turgor discretamente reduzidos, ausência de lágrimas, sede exacerbada, pulsos amplos e acelerados, extremidades acianóticas, ausculta cardiopulmonar, abdome e membros inferiores sem alterações. O exame complementar indicado é:

A
dosagem de eletrolítios no suor.
B
análise de liquor por punção lombar.
C
ultrassonografia abdominal.
D
pesquisa de elementos anormais nas fezes.
Paciente do sexo masculino, de 64 anos de idade, relata 2 anos de evolução de dor distal em membros inferiores, desencadeada aos esforços. A dor inicia após 300 metros de deambulação no plano e alivia ao repouso. História de hipertensão arterial em uso de propranolol e dislipidemia em uso de rosuvastatina. Ao exame apresenta cianose distal de membros inferiores e pulsos pediosos e poplíteos reduzidos. Em relação ao caso é correto afirmar que:
Em relação ao cisto tireoglosso, podemos afirmar:
Um paciente do sexo masculino de 68 anos procurou o ambulatório de cirurgia vascular com queixa de claudicação intermitente em membro inferior direito ao deambular aproximadamente 250 metros. Como antecedentes o paciente apresentava hipertensão arterial sistêmica controlada com duas classes de anti-hipertensivos, tabagismo de 1 maço/dia por 40 anos e negava diabetes mellitus. Ao exame físico vascular: membro inferior esquerdo: pulso femoral 2+/4; pulso poplíteo; tibial posterior e pedioso não palpáveis; membro inferior direito: pulsos femoral; poplíteo; tibial posterior e pedioso não palpáveis; boa perfusão de ambos os membros e sem gradiente térmico. Segundo a classificação de Fontaine da doença aterosclerótica obstrutiva periférica, qual o estágio da doença e qual é o tratamento.
Mulher de 68 anos, 70 kg, será submetida a artroplastia total de quadril. Não tem doenças conhecidas. Hemograma, glicemia e creatinina séricas normais. Escolhida enoxaparina para profilaxia de tromboembolismo venoso. A dose e duração desse esquema são, respectivamente:
Compartilhar