Questões na prática

Cirurgia

Cirurgia Geral

Milton, 58 anos, natural de Minas Gerais, hipertenso há 20 anos, chega à emergência com dor abdominal aguda seguida por distensão e vômitos fecaloides, há 24 horas. História de cirurgia para apendicite aguda há 24 anos e doença diverticular. Exame físico: Temperatura axilar 36,5º C, pressão arterial 90x60 mmHg, frequência cardíaca 108bpm. Frequência respiratória 28 irpm. Exames laboratoriais iniciais: hematócrito 45%, leucócitos 10.000/mm³ de bastões, creatinina 1,6 mg/dl, ureia 82 mg/dl, K 4,9 mEq/I, Na 140 mEq/I. As alterações hemodinâmicas se devem a:

A
Sepse.
B
Translocação bacteriana.
C
Insuficiência renal.
D
Hipovolemia.
Paciente do sexo feminino, 25 anos, compareceu ao ambulatório de otorrinolaringologia queixando de otorreia purulenta à esquerda há cerca de 3 anos. Refere que a otorreia é cíclica e piora quando mergulha ou quando fica gripada. Ao exame otoscópico apresenta perfuração na região atical com presença de lamelas. Tomografia computadorizada revela erosão do esporão de chausse. Qual a sua principal hipótese diagnóstica?
Um paciente de 87 anos comparece ao hospital por comportamento agressivo. Paciente estava em casa, clinicamente bem, quando há um dia familiares referem alteração do comportamento, agressividade, fala desconexa e agitação psicomotora. O diagnóstico será dado mais provavelmente por:
Segundo o documento “Estimativa 2016: Incidência do câncer no Brasil”, do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva, do Ministério da Saúde do Brasil, NÃO é fator de risco para câncer de próstata:
Na coordenação do cuidado de situações oftalmológicas na APS, assinale a alternativa correta que o MFC deve referenciar a pessoa ao oftalmologista, após o primeiro atendimento e medidas iniciais.
Compartilhar