Questões na prática

Clínica Médica

Reumatologia

Mulher, 24 anos de idade, recebeu o diagnóstico de lúpus eritematoso sistêmico há 1 ano. Apresentava eritema malar em asa de borboleta e poliartrite, sem acometimento de outros órgãos. Os exames laboratoriais mostraram FAN positivo (padrão pontilhado 1:800) e anti-DNA nativo positivo (1:80), sem outros achados. Hoje em tratamento com prednisona 5 mg/dia e hidroxicloroquina 400 mg/dia, encontra-se assintomática e com exames de avaliação da doença normais. É essencial para o seguimento dessa paciente:

A
introduzir método contraceptivo.
B
contraindicar vacinação com vírus vivos.
C
introduzir medidas de fotoproteção.
D
contraindicar o uso de anti-inflamatórios não hormonais.
Cláudio se formou em Medicina e foi trabalhar no interior do Ceará em uma equipe de saúde da família. O coordenador da unidade orientou Cláudio a atender 16 pacientes por turno. Francisco, 25 anos, pedreiro, procura atendimento com queixa de dor lombar há 2 dias. Sr. Francisco informava bem, estava tranquilo e em bom estado geral. O exame físico nada revelou de anormal. Dr. Cláudio solicitou um “perfil bioquímico” e tomografia computadorizada de coluna lombo-sacra. A solicitação de tais exames pode gerar, exceto:
Tainará, 12 anos, sofreu lesão na articulação do cotovelo, após cair de um lugar cuja altura era equivalente a sua. A menina queixava-se de dor na articulação. Ao examiná-la, Dr. Emílio detectou sinovite traumática leve e limitação da mobilidade sem impotência funcional. Qual a conduta mais adequada?
Pré-escolar de 3 anos é atendido com tosse produtiva, principalmente noturna, e obstrução nasal há 15 dias. A mãe refere infecção de vias aéreas superiores no início do quadro. O diagnóstico provável é:
Paciente, sexo feminino, 25 anos de idade, com fissura anal posterior crônica, já tendo feito uso de formadores de bolo fecal, nifedipina e nitrato tópicos anais, sem melhora. Realizou manometria anorretal com acentuada hipertonia esfincteriana. A conduta CORRETA a ser tomada é:
Compartilhar