Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Ginecologia

Mulher, 28 anos de idade, solteira, G1P0A1, referiu dor intensa em hipogástrio, com irradiação para região lombar bilateral. A dor iniciou há 3 dias e piorou nas últimas 12 horas, quando apresentou febre de 39,5°C. Nega vômitos e a última evacuação foi há 36 horas. Ao exame, apresentava-se gemente, em posição antálgica e, à palpação do abdome, sinais de peritonismo, principalmente em fossa ilíaca direita. Ao toque vaginal, mostrava dor intensa à mobilização do colo uterino, não sendo possível palpar anexos. Hemograma com 21.000 leucócitos/ml e desvio à esquerda. Ultrassonografia revelou massa anexial à direita de 5 cm de diâmetro sugestiva de abscesso no tubo ovariano. Qual a primeira conduta a ser tomada?

A
Internação e laparotomia exploradora.
B
Internação para antibioticoterapia endovenosa.
C
Culdocentese e cultura com antibiograma.
D
Antibioticoterapia oral e retorno em 3 dias para a reavaliação do caso.
Os eventos habituais no desenvolvimento puberal feminino normal em ordem de surgimento são:
A Endoscopia Digestiva Alta (E.D.A.) é um procedimento amplamente usado em crianças para diagnóstico de patologias do Tubo Digestivo Superior. São indicações para a EDA em crianças, exceto:
Paciente G3P2A0 (2 partos vaginais), 38 semanas de gestação, é admitida na sala de parto com diagnóstico de descolamento prematuro de placenta. Ao exame: PA 90 x 50 mmHg, pulso 98 bpm e FR 18 mrp.Toque: colo dilatado 5 cm, bolsa íntegra, +1 de De Lee, cefálico em “ODP”, BCF 102 bpm. A melhor conduta materno-fetal para resolução da gestação é:
Em uma situação em que não há disponibilidade de ultrassonografia, uma mulher apresentou- se ao Médico de Família e Comunidade com dor pélvica, mas sem sinais de irritação peritoneal. Qual dos grupos de achados abaixo apoiaria integralmente o diagnóstico de doença inflamatória pélvica aguda?
Compartilhar