Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Ginecologia

Paciente com 42 anos de idade, com ciclos menstruais regulares, procurou atendimento com queixa de dor em fossa ilíaca direita, há 6 meses, de leve a moderada intensidade, diária. O exame clínico ginecológico não evidenciou alterações significativas. O ultrassom evidenciou cisto ovariano à direita, sugestivo de teratoma e CA 125 = 4,0. Foi submetido à laparoscopia, com ooforectomia direita, e o exame anatomopatológico intraoperatório evidenciou diagnóstico de carcinoma de ovário. Sabe-se que nesses casos está indicada a realização de estadiamento cirúrgico, no mesmo ato, o que inclui histerectomia e ooforectomia contralateral. Do ponto de vista ético, qual a conduta mais adequada do cirurgião?

A
Realizar o estadiamento cirúrgico mesmo que o paciente não tenha consentido previamente, visto que se trata de doença maligna, com evidente risco de vida.
B
Realizar o estadiamento cirúrgico somente se a paciente tiver sido informada previamente sobre essa possibilidade e consentido com o procedimento, caso contrário, deverá complementar a cirurgia em outro tempo.
C
Realizar o estadiamento cirúrgico obtendo o consentimento verbal da paciente, no intraoperatório, posto que a paciente está acordada. Sob anestesia requidiana.
D
Realizar o estadiamento cirúrgico após informar o marido da paciente na sala de espera, e obtendo o consentimento dele, visto que se trata de doença maligna, com evidente risco de vida.
Uma mulher de 20 anos, com vida sexual ativa desde os 14 anos, com o desejo de gestar e atraso menstrual de 50 dias, iniciou um quadro clínico de dor pélvica e discreto sangramento via vaginal de coloração escura há 03 dias. Apresenta como antecedentes gineco-obstétricos um relato de abortamento espontâneo aos 15 anos de idade e um período de internação de 5 dias por “inflamação na barriga”, há 3 anos. Ao exame clínico há palidez cutaneomucosa de +3/4+, pressão arterial de 90x45mmHg, frequência cardíaca de 100bpm. Os exames complementares mostram teste sanguíneo de B HCG positivo para gravidez e dosagem de hemoglobina de 6,9g/dl. Diante desse quadro clínico, a prenhez ectópica é um dos diagnósticos prováveis e afirma-se que:
Uma mulher de 50 anos que apresenta sintomatologia clínica de irregularidade menstrual, labilidade emocional, insônia, queda da libido e episódios de “fogacho” provavelmente encontra-se no climatério. Em relação a esta fase da evolução biológica da mulher, afirma-se que:
Criança com 9 anos de idade apresenta febre irregular, associada a emagrecimento progressivo, palidez cutâneo-mucosa e hepatoesplenomegalia. Possui quadro clínico arrastado, com mais de dois meses de evolução associado ao comprometimento do estado geral. Os exames complementares estão alterados e, no exame sorológico, os títulos de anticorpos específicos são elevados. O diagnóstico inicial de suspeição seria:
O teste sorológico mais específico para o diagnóstico de infecção aguda pelo vírus Epstein-Barr é a dosagem de:
Compartilhar