Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Obstetrícia

Mulher, 30 anos de idade, vem apresentando amenorreia há 4 meses, após ter sido submetida à curetagem uterina devido a um abortamento incompleto, de 9 semanas. Não tem outras queixas clínicas. Menarca aos 12 anos, com ciclos de 28 d/3 a 4 dias/++. Mamas sem secreções. Tireoide normal à palpação. Beta-HCG: negativo. O diagnóstico provável do quadro descrito é:

A
síndrome de Sheeran
B
síndrome de Asherman
C
síndorme de Arnold-Chiari
D
falência ovariana
E
síndrome de Savage
Homem, 72 anos, previamente com hipertensão arterial e sem outras comorbidades sabidas prévias. Chega ao pronto socorro contando história de dor abdominal em hipocôndrio direito. Ao exame físico está estável, pulsos periféricos todos palpáveis e massa abdominal pulsátil indolor em mesogástrio e dor a palpação de hipocôndrio direito. Ao ultrassom visualizado cálculos biliares em grande quantidade não obstrutivos e dilatação da aorta abdominal de 6cm de diâmetro. Assinale a alternativa que representa a conduta recomendada neste caso:
Lactente do sexo masculino de 3 meses apresenta tumoração inguinal redutível a esquerda com testículo tópico deste lado e criptorquidia direita, com testículo palpável em região inguinal direita. A conduta recomendada neste caso é:
Homem, 78 anos de idade, com confusão mental e alteração da memória há 6 meses. Apresenta períodos de lucidez que duram alguns dias, com episódios de desorientação de início agudo. Nos últimos 3 meses teve alucinações visuais bem estruturadas (chega a ver animais na árvore). Teve algumas quedas, com fratura do punho. Ao exame físico: leve tremor na mão esquerda e rigidez nos braços. Há 3 semanas, passou em consulta, recebendo haloperidol, e evoluiu com rebaixamento da consciência e internação. Qual é o diagnóstico provável?
Paciente, 40 anos de idade, com quadro de trombose venosa profunda do membro inferior direito, sob tratamento adequado com heparina. Apresenta quadro de embolia pulmonar, hemodinamicamente estável. Ao mapeamento Doppler constata-se trombo não aderido na veia ilíaca direita. Qual a melhor conduta?
Compartilhar