Questões na prática

Clínica Médica

Reumatologia

Mulher, 32 anos, com poliartrite periférica há 2 meses. O exame que NÃO tem relevância na investigação diagnóstica é :

A
fator reumatoide
B
fator antinuclear
C
ácido úrico
D
velocidade de hemossedimentação
E
proteína C reativa
Qual o nome da hérnia interna que pode acometer pacientes em pós-operatório de bypass gástrico pré-cólico (bariátrica), cujos limites sejam o mesocólon transverso e o mesentério da alça alimentar?
Um lactente de 4 meses de idade, em curso de febre há 3 dias de etiologia desconhecida, evolui para crises tônico-clônicas generalizadas em vigência da febre. Tendo em vista a idade do paciente, a ausência do diagnóstico etiológico e o quadro convulsivo, podemos afirmar:
Assinale a alternativa que completa CORRETAMENTE a frase abaixo. Pedro, 41 anos de idade, diz não ter problema algum de saúde e que não sente nada de errado. Vem à consulta apenas para os exames de rotina, o check-up. Sua esposa insiste para que faça o exame da próstata. Pedro abandonou o tabagismo há mais de dez anos, não usa nenhuma medicação e nunca fez qualquer cirurgia. No exame físico, pesa 70 kg, mede 1,70 m, a pressão arterial é de 120/80 mmHg. Em relação ao rastreio do câncer de próstata, o médico de família deve:
Um senhor idoso de 88 anos, pedreiro aposentado, chegou ao pronto-socorro acompanhado por seus familiares. Segundo os cuidadores, o paciente apresentava discurso incoerente há 3 dias. Cochilava várias vezes por dia e quando acordado não parecia reconhecer onde estava. Em alguns momentos ficava agitado e dizia ver sombras que puxavam seus braços e pernas. Tais visões eram mais comuns no período noturno. Na avaliação inicial o paciente colaborou pouco. Não foi capaz de dizer o dia da semana e nem onde estava. Não foi capaz de soletrar a palavra MUNDO de trás para a frente (de forma inversa). Estava com as mucosas secas. Relatou dor no abdômen inferior à palpação. Notou-se tremores de extremidade em repouso e sinal da roda denteada positivo. A pressão arterial era de 90 x 58 mmHg e a frequência cardíaca de 72 bpm. A temperatura axilar era de 35,9 °C. A ausculta pulmonar não demonstrava ruídos adventícios e a ausculta cardíaca sopro sistólico 1+/4+ panfocal. Segundo os cuidadores, também era portador de insuficiência cardíaca congestiva e doença de Parkinson. Fazia uso de carvedilol e biperideno (este último introduzido há 7 dias). Qual a melhor conduta inicial?
Compartilhar