Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Ginecologia

Mulher, 32 anos de idade, G3P2A1, portadora de dismenorreia e HAS controlada com medicação, procura a unidade básica de saúde para prescrição de método contraceptivo. O exame ginecológico é normal. De acordo com os critérios de elegibilidade da Organização Mundial de Saúde - OMS (2009), assinale a opção que apresenta apenas métodos contraceptivos categoria 1 e/ou 2 para esta paciente:

A
pílula de progestagênio isolado e dispositivo intrauterino medicado com cobre.
B
adesivo e implante.
C
pílula combinada e sistema intrauterino liberador de levonorgestrel.
D
injetável mensal e dispositivo intrauterino medicado com cobre.
Cetoacidose diabética é uma patologia frequente no serviço de emergência. Podemos afirmar que cursa sempre com:
Com relação à Histiocitose X (granulomatose de células de Langerhans), todas as afirmativas abaixo são verdadeiras, EXCETO:
Mulher, 73 anos de idade, com hipercolesterolemia, apresentou síncope de duração de 5 minutos em domicílio. Filha nega o uso de medicações, exceto sinvastatina e colírio para glaucoma. Esteve no cardiologista há 3 meses, que não recomendou novas medidas. Foi trazida ao PA onde se apresenta confusa, com pulso radial de 36 bpm, com pausas à inspiração. TA: 120 x 60 mmHg, FR: 20 ipm. Mucosas coradas, sem sinais neurológicos de localização ou de irritação meníngea. Pulmões limpos. Ausculta cardíaca mostra bulhas arrítmicas à custa de pausas, que duram até 30 segundos, além de sopro sistólico suave em foco aórtico. A melhor conduta imediata é:
Mulher, 55 anos de idade, previamente hígida, vem com cefaleia holocraniana em peso há 3 dias. Há 12 horas começou a apresentar parestesia em hemiface à esquerda, cursando com desvio de comissura labial para a direita e apagamento do sulco nasolabial. Nega alteração de força muscular em membros. Não consegue franzir a testa nem fechar a rima palpebral à esquerda; sem outros déficits motores. A melhor conduta, no caso, é:
Compartilhar