Questões na prática

Clínica Médica

Infectologia

Reumatologia

Mulher, 40 anos, em uso contínuo de 7,5 mg de prednisona/dia, associada ao methotrexate, para tratamento de artrite reumatoide, queixa-se de tosse, dor epigástrica iniciada há cerca de 30 dias, com alguns episódios de diarreia. Apresenta há dois dias febre alta (> 38,5°C). Na admissão no Serviço de Emergência, exibe PA sistêmica = 90 mmHg, temperatura axilar de 38,8°C, taquicardia, diarreia, dor abdominal difusa à palpação, sem irritação peritonial. O seu hemograma mostra: Hg: 11,5 gr; leucócitos: 22.550; B: 0; E: 13; B: 15; S: 50; L: 12; M: 10; plaq.: 112. A principal hipótese diagnóstica é:

A
úlcera duodenal perfurada.
B
sepse por Gram-negativo secundária à estrogiloidíase disseminada.
C
diarreia associada ao uso do methotrexate.
D
alergia alimentar.
E
manifestação intestinal da artrite reumatoide.
Sobre os aneurismas de Artéria Poplítea, é correto afirmar que:
O MFC realiza o cuidado da pessoa em todos os seus ciclos de vida desde o ventre materno até a senescência. A transição demográfica hoje apresenta uma população idosa cada vez mais necessitada de assistência, pois envelhecer sem qualidade de vida não faz sentido. Sobre esse caso, marque a alternativa correta.
Os problemas encontrados com maior frequência no idoso são:
Sobre hemicraniectomia descompressiva, afirma-se: 1. É indicada em casos de edema cerebral difuso na Tomografia de crânio e evidência de hemiação cerebral.; 2. Entre as complicações, estão o desenvolvimento de higromas, hidrocefalia e problemas com reabsorção óssea após cranioplastia.; 3. O prognóstico após hemicraniectomia é melhor em adultos que em crianças.
Compartilhar