Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Ginecologia

Mulher, 45 anos de idade, informou ter antecedentes familiares de câncer mamário (mãe e tias maternas). Foi-lhe orientado realizar mamografia anualmente. Em relação ao exame de rastreamento do câncer da mama, assinale a alternativa correta:

A
a eficácia do exame é maior quando é feito em uma única incidência mamária.
B
deve ser continuamente realizado ate o fim da vida da mulher.
C
maior benefício é obtido pela mamografia anual entre 50 e 69 anos de idade.
D
tem grande valor, pois a prevenção primária do mesmo é altamente eficaz.
Recém-nascido apresenta ao final do 1º minuto de vida frequência cardíaca 80bpm, choro fraco, reagindo à aspiração das vias aéreas com caretas, hipotonia generalizada e cianose central. Após os cuidados, ao final do 5º minuto, encontra-se com frequência cardíaca 130 bpm, chorando forte, reagindo à aspiração das vias aéreas com espirros e com as mãos, com hipotonia dos membros inferiores mas movimentando os superiores, mantendo a cianose central. Qual o score de Apgar no 1º e 5º minutos de vida, respectivamente?
Uma mulher de 29 anos, evoluindo há 50 dias com tremores de extremidades, emagrecimento de 5kg, palpitação, labilidade emocional e exoftalmo, fez os seguintes exames: hormônio tireoestimulante = 0,001, tiroxina livre = 4,8, anticorpo anti-receptor de TSH (TRAB) = 42 (normal até 10). O diagnóstico mais provável e a conduta inicial são:
Mulher, 66 anos, sabidamente diabética tipo 2 há mais de 10 anos, sem controle satisfatório, hipertensa em uso irregular de anti-hipertensivos, tabagista 30 anos/maço, assintomática, comparece à consulta para avaliação clínica de rotina. Ao exame físico, IMC: 40 kg/m², PA: 212x114 mmHG, FC: 99 bpm. Ausculta cardíaca: Bulhas cardíacas sem sopros. Ausculta respiratória: MV presente sem RA. Abdome e extremidades sem alterações. O eletrocardiograma revela hipertrofia ventricular esquerda. Nesse caso, quais as metas preconizadas para glicemia de jejum, HDL, LDL, triglicérides e PA?
Mulher, 30 anos, foi admitida com quadro de dispneia aos esforços progressivos há cerca de 10 meses, com piora acentuada na última semana, apresentando dispneia aos esforços habituais associada a queixas de palpitações persistentes acompanhadas de ortopneia, edema de membros inferiores e aumento do volume abdominal. Seu exame físico revela FC 140 bpm, ritmo cardíaco irregular, PA 126x76 mmHg. Ausculta cardíaca: B1 hiperfonética com a presença de ruflar diastólico de baixa frequência após estalido de abertura próximo à segunda bulha em foco de ápice cardíaco. Ausculta pulmonar normal. Pergunta-se: Qual a provável causa da descompensação clínica ocorrida na última semana?
Compartilhar