Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Ginecologia

Mulher, 55 anos de idade, G0, assintomática, comparece à consulta em unidade básica de saúde. Informa durante consulta não ter antecedentes pessoais ou familiares de câncer. Ao exame clínico detalhado, não se detecta anormalidades. Neste caso a estratégia mais efetiva para se reduzir a mortalidade pelo câncer de mama é:

A
orientar a realização de mamografia independente de sintomas ou achados ao exame físico.
B
considerando a ausência de fatores de risco, o exame clínico pelo médico é adequado como forma de rastreamento e exames complementares são desnecessários.
C
a prevenção primária baseada em atividade física regular, evitar a ingestão alcoólica e evitar o uso de terapia hormonal, é mais eficiente do que estratégias de rastreamento.
D
o rastreamento neste caso é melhor realizado pela ultrassonografia das mamas, como em todas as mulheres que não tiveram gravidez.
É possível realizar a profilaxia da infecção pelo vírus sincicial respiratório, para pacientes de risco, com a administração de:
Quanto aos critérios de distribuição de fígado de doadores cadáveres para transplante, modificados pela Portaria no 1.160 de 29 de Maio de 2006, podemos afirmar, EXCETO:
Homem de 70 anos está internado numa enfermaria de clínica médica, há 15 dias, para investigação de quadro demencial. Recebe hidratação parenteral através de cateter venoso central , instalado na subclávia esquerda. Há 6 dias vem apresentando febre diária de 39ºC. No exame clínico de rotina nota-se o aparecimento de um sopro sitólico e diastólico (++/4+) em foco aórtico. Há 2 dias está com tosse e, na radiografia de tórax, surgiram vários pequenos velamentos na periferia de ambos os pulmões. Das abaixo citadas, a melhor opção terapêutica, enquanto se aguardam os exames de investigação diagnóstica, é a introdução de:
São condições clínicas associadas a maior risco de tuberculose:
Compartilhar