Questões na prática

Clínica Médica

Cardiologia

Mulher, 73 anos de idade, com hipercolesterolemia, apresentou síncope de duração de 5 minutos em domicílio. Filha nega o uso de medicações, exceto sinvastatina e colírio para glaucoma. Esteve no cardiologista há 3 meses, que não recomendou novas medidas. Foi trazida ao PA onde se apresenta confusa, com pulso radial de 36 bpm, com pausas à inspiração. TA: 120 x 60 mmHg, FR: 20 ipm. Mucosas coradas, sem sinais neurológicos de localização ou de irritação meníngea. Pulmões limpos. Ausculta cardíaca mostra bulhas arrítmicas à custa de pausas, que duram até 30 segundos, além de sopro sistólico suave em foco aórtico. O ECG dessa paciente revela presença de onda P em D2, com intervalo PR de 0,13 segundos, períodos de pausa não precedidos de onda P, não múltiplos do intervalo RR, com duração de até 50 segundos e QRS com morfologia normal e eixo de 30 graus. Esses achados são compatíveis com:

A
bloqueio AV de segundo grau, mobitz tipo II
B
bloqueio AV de primeiro grau
C
bloqueio AV total
D
marca-passo migratório
E
bradicardia sinusal com parada sinusal
O Polidrâmnio pode ser secundário à:
Mulher, 24 anos de idade, estava na moto e foi atropelada por um ônibus. Foi trazida à emergência inconsciente, intubada (sonda nasotraqueal) e em ventilação assistida. FC de 140 bpm e PA de 80/40 mmHg. Após administração de 2.000 ml de solução cristaloide, não houve melhora significativa dos parâmetros hemodinâmicos. As próximas medidas para investigação e tratamento da hipotensão são:
Hematoma retroperitoneal na zona II está associado MAIS PROVAVELMENTE a:
Considere a causa primária mais frequente e o distúrbio do ritmo mais comum da parada cardiorrespiratória em crianças e, a seguir, assinale a resposta correta.
Compartilhar