Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Ginecologia

Mulher, com 35 anos de idade, há cerca de 1 ano refere intensa dor pélvica crônica que se acentua durante o período menstrual e melhora com anti-inflamatórios. É tercigesta , teve 3 cesárias e fez laqueadura durante o último parto, há 8 anos.Teve 4 parceiros sexuais no último ano. Ao exame físico, observa-se útero de tamanho normal, retrovertido, pouco móvel e com dor à mobilização do colo. Qual deve ser a primeira hipótese diagnóstica?

A
endometriose
B
doença inflamatória pélvica aguda
C
sequelas de doença inflamatória pélvica
D
leiomioma uterino submucoso e intramural
E
cisto anexial complicado
Paciente de 25 anos apresentou quadro compatível com cólica renal à direita, tendo sido encaminhado à emergência. Os exames mostraram cálculo de 4 mm localizado no ureter distal e leve hidronefrose. A avaliação laboratorial não revelou anormalidades. A dor em cólica aliviou de maneira substancial após analgesia intravenosa. Considerando as opções abaixo, qual a mais indicada para o manejo inicial?
Mulher, 34 anos, em uso de ACO, apresenta dor em HD há cerca de 3 meses. Ecografia e TC de abdome demonstram lesão de 9 cm de diâmetro, subcapsular, no segmento 6, compatível com adenoma hepático. Em relação a este caso, são apresentadas as seguintes assertivas. I. As enzimas hepáticas devem estar elevadas nesta situação clínica. II. Existe possibilidade de transformação maligna e de sangramento espontâneo desta lesão. III. Em caso de ressecção completa da lesão, o uso de ACO pode ser retomado 90 dias após a cirurgia. Qual é a alternativa correta?
Escolar de sete anos é levado ao hospital, pois está “urinando pouco e a urina está escura”. Ao exame verifica-se edema generalizado e hipertensão arterial. Dentre as glomerulopatias responsáveis por esta síndrome, a mais frequente na infância é:
São fatores de risco para Hiperbilirrubinemia grave, exceto:
Compartilhar